Nasa: sonda mais rápida do mundo já construída quebra 2 recordes ao se aproximar do sol

Na semana passada, em 29 de abril, a Parker fez sua oitava abordagem bem-sucedida ao sol, batendo dois recordes simultaneamente e enfrentando temperaturas acima de 650 °C

 Nasa/Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins
Credit... Nasa/Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins

A sonda solar Parker da Nasa fez sua oitava abordagem bem-sucedida ao Sol na semana passada, chamada periélio, e quebrou seus próprios recordes de distância e velocidade, de acordo com os responsáveis pela missão. O equipamento, que tem o tamanho de um carro pequeno, chegou a 10,4 milhões de quilômetros da superfície solar, enquanto se movia a uma velocidade de mais de 532 mil quilômetros por hora.

Ela foi lançada em agosto de 2018 para estudar o sol, e, em fevereiro de 2020, a Parker estabeleceu seus próprios recordes, chegando perto da nossa estrela a uma distância de 18,6 milhões de quilômetros enquanto se movia a uma velocidade de 393.044 quilômetros por hora.

"À medida que nos aproximamos do Sol, esperamos aprender ainda mais sobre o que já sabemos sobre a formação e a estrutura do vento solar e as forças que o impulsionam para e além da Terra", disse Nour Raouafi, cientista da missão do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, que também projetou e construiu a sonda.

Durante dois anos e meio de missão, que durará cerca de sete anos, a sonda permanece em bom estado devido ao seu sistema de proteção térmica, sendo que atualmente enfrenta temperaturas acima de 650 °C.

Cientistas planejam em breve quebrar outro recorde. A Parker deverá eventualmente viajar a cerca de 6,5 milhões de quilômetros da superfície do Sol, onde terá que suportar temperaturas de cerca de 1.400 °C. (com agência Sputnik Brasil)