Especialistas alertam sobre risco de pandemia relacionada à saúde mental

Em hospitais indianos, aumentou o número de pacientes que têm problemas de saúde mental. O país começou a treinar especialistas para fornecerem ajuda adequada às pessoas

Foto: Reuters/Diego Vara
Credit...Foto: Reuters/Diego Vara

Dr. Basudeb Das, diretor do Instituto Central de Psiquiatria, em Jharkhand, na Índia, disse ao jornal "The Hindu" que em hospitais de todo o país aumentou o número de infectados com covid-19 que apresentam problemas de saúde mental.

"Enquanto tentamos conter o novo coronavírus, devemos estar preparados para lidar com a nova pandemia causada pelo impacto da covid-19 na saúde mental. O tratamento desses casos pode continuar nos próximos anos, até depois do fim da vacinação", afirmou dr. Das.

O especialista destacou que a cada dez pessoas, duas apresentam sintomas como depressão, ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático e traumas psicológicos devido à morte de amigos e familiares.

Cerca de 15% dos pacientes que vão ao hospital se queixam de problemas de saúde mental em consequência do impacto do novo coronavírus, comentou Sujit Sarkhel, professor associado do Instituto de Psiquiatria de Calcutá.

"Há pessoas que perderam membros da família por causa do vírus. Também há aqueles que tiveram experiências de quase-morte e foram internados na UTI, mas mesmo após sua recuperação, têm graves crises de trauma", disse Sarkhel.

Diferentes instituições indianas, como o Instituto Central de Psiquiatria, Instituto Nacional de Saúde Mental e Neurociências, em Bengaluru e o Instituto Regional de Saúde Mental Lokpriya Gopinath Bordoloi, em Tejpur, iniciaram treinamento para médicos, enfermeiros e assistentes sociais que podem dar apoio às pessoas que estão sofrendo com problemas de saúde mental.

Durante os últimos meses, foram treinados 175 especialistas para trabalharem com esta questão, segundo dr. Das.

"Devemos pensar em soluções de curto e longo prazo", sublinhou o dr. Das, acrescentando que é muito importante formar médicos e funcionários associados para enfrentarem o novo desafio.(com agência Sputnik Brasil)