BoJ diz que política monetária dependerá da crise

O presidente do Banco do Japão (BOJ, central), Toshihiko Fukui, afirmou hoje que a política monetária japonesa dependerá do impacto na economia real da crise provocada pelo mercado hipotecário dos Estados Unidos.

"A economia real e os mercados financeiros se afetam mutuamente e nós acompanharemos de perto a situação", afirmou Fukui.

Segundo o dirigente, os mercados financeiros estão sofrendo uma grande volatilidade porque a crise hipotecária nos EUA provoca uma nova avaliação dos riscos. O processo vai custar "tempo" e "dores", acrescentou, garantindo que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) e o Banco Central Europeu compartilham os seus pontos de vista.

Hoje, o comitê decisório do BOJ resolveu manter as taxas de juros japonesas em 0,50%, por oito votos contra um. O ministro das Finanças, Koji Omi, elogiou a decisão do banco central japonês, que recebeu "com agradecimento".

Economistas consultados pela agência de notícias "Kyodo" afirmaram que a próxima alta dos juros dependerá dos futuros movimentos do Federal Reserve dos EUA e do Banco Central Europeu.