Festival de Berlim divulga os filmes da mostra oficial e detalhes da edição 2021

Brasil não consta da lista, mas marca presença em outras mostras do evento

Divulgação
Credit...Divulgação

Em conferência de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (11), a diretora executiva Mariette Rissenbeek apresentou, mais uma vez, o formato do que será a 71ª edição do Festival de Berlim. Na sequência, o diretor artístico Carlo Chatrian divulgou os filmes selecionados para a mostra oficial – que concorre aos Ursos de Ouro e Prata – e para a Berlinale Special.

Rissenbeek disse que inicialmente foi preciso constatar que, conforme anteriormente programado, um festival normal não seria possível em fevereiro. “Mas ao mesmo tempo, sabíamos que, após muitos meses de pandemia e fechamento dos cinemas, um grande número de cineastas e pessoas da indústria cinematográfica estava urgentemente procurando uma plataforma para continuar seu trabalho. Esse foi o maior motivo pelo qual não era uma boa opção simplesmente cancelar o festival deste ano. Procuramos então buscar as soluções possíveis”, ressaltou a diretora.

Como já noticiado, o festival ocorrerá em duas fases: de 1 a 5 de março acontecerá uma competição online e o anúncio dos vencedores dos Ursos de Ouro e Prata, que serão escolhidos por um júri composto por seis premiados em edições anteriores; de 9 a 20 de junho haverá exibições abertas ao público, a princípio em salas e ao ar livre. Nessa segunda fase está prevista também a entrega dos prêmios presencialmente.

Chatrian iniciou sua fala expressando que “se a competição oferece uma imagem do cinema como ele é e como será, podemos dizer que a perturbação provocada pelos acontecimentos de 2020 levou os cineastas a aproveitarem ao máximo esta situação e a criarem filmes profundamente pessoais”. “Esta competição é menos rica em números, mas muito densa em conteúdo e estilo” complementou.

No total, 15 filmes vão concorrer ao Urso de Ouro e aos Ursos de Prata. Produções de 16 países – que não inclui o Brasil – estão representadas na competição.

Dos filmes convidados, dois são estreias e a maioria vem de artistas que já estiveram no festival. A lista, que é bem ampla e aborda assuntos relevantes, inclui documentários, contos, adaptações de livros, ficção científica, sátiras, filme de época e contos de fadas.

Entre os selecionados, são destaques: “Introduction”, do coreano Hong Sangsoo; “Bad Luck Banging or Loony Porn”, do romeno Radu Jude; e
“Nebenan”, que marca a estreia do ator Daniel Brühl na direção. “Una Película de Policías”, do mexicano Alonso Ruizpalacios é o representante latino-americano na mostra.

A Berlinale Special apresenta um programa multifacetado composto por onze títulos de dez países, entre eles três estreias em longas-metragens.

“Mesmo na edição reduzida deste ano, Berlinale Special investiga os extremos do espectro cinematográfico. Quer os filmes sejam o resultado de um cineasta com voz reconhecível ou um trabalho mais cooperativo incluindo estrelas que todos admiramos, eles oferecem o prazer de histórias envolventes, temas atuais e viagens pessoais”, afirmou Chatrian.

Entre outros, são destaques: The Mauritanian, do inglês Kevin Macdonald (UK), protagonizado por Jodie Foster; e o documentário “Tina”, de Dan Lindsay e T. J. Martin (EUA), biografia da cantora Tina Turner.

Brasil

Embora não esteja na mostra oficial, os brasileiros terão uma boa representatividade nesta edição do evento. O documentário “A Última Floresta”, de Luiz Bolognesi, integra a Panorama, paralela mais prestigiada do festival. O filme – coprodução da Gullane e Buriti Filmes – denuncia o descaso, ao longo dos séculos, com indígenas, que lutam para preservar seu habitat e tradições.

Há outros brasileiros: “Se Hace Camino al Andar”, de Paula Gaitán, que integra a lista de Instalações da Fórum Expanded; na coprodução de “Esquí”, do argentino Manque La Banca, que compete na mostra principal da Fórum; e com “One Hundred Steps”, produção franco-alemã – dirigida pela brasiliense Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (nascido em Munique, Alemanha) – que concorre entre os curtas-metragens. E ainda foi um dos seis escolhidos da Berlinale Series com “Os Últimos Dias de Gilda”, de Gustavo Pizzi.

Veja a relação dos filmes agora anunciados

Competição

Albatros, de Xavier Beauvois – França
Bad Luck Banging or Loony Porn, de Radu Jude – Romênia / Luxemburgo / Croácia / República Tcheca
Fabian – Going to the Dogs, de Dominik Graf – Alemanha
Ballad of a White Cow, de Behtash Sanaeeha e Maryam Moghaddam – Irã / França
Wheel of Fortune and Fantasy, de Ryusuke Hamaguchi – Japão
Mr Bachmann and His Class, de Maria Speth – Alemanha
I’m Your Man, de Maria Schrader – Alemanha
Introduction, de Hong Sangsoo – República da Coréia
Memory Box, de Joana Hadjithomas e Khalil Joreige – França / Líbano / Canada / Qatar
Nebenan, de Daniel Brühl – Alemanha – filme de estreia
Petite Maman, de Céline Schiamma – França
What do we See When we Look at the Sky?, de Alexandre Koberidze – Alemanha / Georgia
I See you Everywhere, de Bence Fliegauf – Hungria
Natural Light, de Dénes Nagy – Hungria / França / Alemanha
Una Película de Policías, de Alonso Ruizpalacios – México

Berlinale Special

Best Sellers, de Lina Roessler – Canada / UK
Courage, de Aliaksei Paluyan – Alemanha
French Exit, de Azazel Jacobs – Canada / Irlanda
Je suis Karl, de Christian Schwochow – Alemanha / República Tcheca
Language Lessons, de Natalie Morales – EUA
Limbo, de Cheang Soi – Hong Kong / China
The Mauritanian, de Kevin Macdonald – UK
Per Lucio, de Pietro Marcello – Itália
Tides, de Tim Fehlbaum – Alemanha / Suiça
Tina, de Dan Lindsay e T. J. Martin – EUA
Who We Were, de Marc Bauder – Alemanha