Berlinale anuncia os filmes da mostra Geração

A 71ª edição do Festival de Berlim divulgou o programa da mostra competitiva Geração, que é composta por títulos com temas da infância e da adolescência

Foto: Motlys/divulgação
Credit...Foto: Motlys/divulgação

Em 2020, o Brasil foi premiado com “Meu Nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza. Neste ano, no entanto, não foi selecionado filme brasileiro.

A coordenadora da mostra, Maryanne Redpath, disse que os 15 escolhidos representam um convite para sair da obviedade e olhar mais de perto o que está sob a superfície. “Eles oferecem espaço para refletir sobre os diversos mundos que os jovens estão vivenciando e oferecem uma pausa para a vida”, ressaltou Redpath.

A seleção é constituída quase que exclusivamente por títulos asiáticos, norte-americanos e europeus. A Noruega, por sinal, é um dos destaques, com “Ninjababy”, de Yngvild Sve Flikke, que segue uma jovem dividida entre ser mãe ou investir em outras coisas que planeja fazer.

O único latino americano é o argentino “Una Escuela en Cerro Hueso”, de Betania Cappato.
O júri internacional - que é também composto por jovens - anunciará os premiados com o Urso de Cristal durante o evento para a indústria em março, e os troféus serão entregues durante o especial de verão da Berlinale previsto para junho.

Veja a lista dos títulos anunciados

Mostra Geração Kplus
Beans, de Tracey Deer (Canadá)
Any Day Now, de Hamy Ramezan (Finlândia)
Summer Blur, de Han Shuai (China)
Short Vacation, de Kwon Min-pyo, Seo Hansol (Coreia do Sul)
Last Days at Sea, de Venice Atienza (Filipinas / Taiwan)
Mission Ulja Funk, de Barbara Kronenberg (Alemanha / Luxemburgo / Polônia)
Nelly Rapp: Monster Agent, de Amanda Adolfsson (Suécia)
Una Escuela en Cerro Hueso, de Betania Cappato (Argentina)

Mostra Geração 14plus
Cryptozoo, de Dash Shaw (Estados Unidos)
Fighter, de Jéro Yun (Coreia do Sul)
From the Wild Sea, de Robin Petré (Dinamarca)
The Fam, de Fred Baillif (Suíça)
Ninjababy, de Yngvild Sve Flikke (Noruega)
Stop-Zemlia, de Kateryna Gornostai (Ucrânia)
The White Fortress, de Igor Drljaa (Canadá / Bósnia e Herzegovina)