‘Kubrick by Kubrick’ é retrato fiel do consagrado cineasta

.

Allstar Picture Library / Alamy Stock Photo
Credit...Allstar Picture Library / Alamy Stock Photo

Um dos destaques na programação dessa sexta feira (11) do Festival de Tribeca, “Kubrick by Kubrick”, de Gregory Monro, é um retrato transcendental do cineasta Stanley Kubrick.

Monro, nascido em Paris, é autor de vários documentários biográficos como o de James Stewart, Robert Mitchum, Jerry Lewis, entre outros.

Este sobre Kubrick, que ele realizou em 2020, percorre a filmografia do cineasta americano através de relatos do próprio, nas raras entrevistas feitas com ele pelo conceituado crítico de cinema francês Michel Ciment – cuja colaboração foi fundamental para a concretização do filme.

Realmente não é simples documentar um dos mais engenhosos e geniais autores do cinema e que não gostava de dar entrevistas, como era o caso de Kubrick. Ele sempre se esquivou de falar sobre seus filmes por considerar que “quando um artista declara suas intenções, a arte perde aquilo que tem de mais singular, que é o poder da imaginação e da sugestão”.

A afirmação destaca mais ainda a importância das entrevistas que Ciment conseguiu fazer, possibilitando que Monro, ao invés de simplesmente evocar imagens e cenas que remetessem a Kubrick, utilizasse gravações do próprio conversando com o crítico sobre seus filmes e a maneira como faz cinema.

Outro acerto foi não insistir na afirmação de que Kubrick elaborava filmes difíceis e profundos. Ele era perfeccionista, rótulo que nunca negou, e talvez seja resultado de sua paixão, além do cinema, pelo xadrez e a fotografia. Como é explicado por Ciment, “o xadrez lhe trouxe a ordenação mental para definir a estrutura da história e o rigor dos enredos; a fotografia possibilitou o domínio técnico sobre luz, enquadramento e profundidade”.

Já tinha havido tentativas anteriores de retratá-lo como em “Stanley Kubrick – The Invisible Man”, de Paul Joyce, e em várias séries sobre cineastas, mas “Kubrick by Kubrick” é certamente a que mais se aproxima da pessoa e legado do consagrado diretor.

Em última análise, é um belo documentário que faz justiça ao cineasta e à sua enorme contribuição para o cinema através de inesquecíveis clássicos como “Spartacus”, “2001: Uma Odisseia no Espaço”, “Laranja Mecânica”, “O Iluminado”, “De Olhos Bem Fechados”, entre outros de sua carreira de quatro décadas, com 16 títulos, em sua maioria obras primas.

“Kubrick by Kubrick” é um dos 52 títulos que participariam do Tribeca 2020 que precisou ser cancelado. Em boa hora, todos foram convidados pelo festival para integrar esta edição.