É Tudo Verdade 2021 anuncia programação

Foram selecionados 7 títulos brasileiros e 12 estrangeiros

Pedro J. Márquez
Credit...Pedro J. Márquez

É tudo Verdade, maior festival de documentários da América Latina – que acontece entre os dias 8 e 18 de abril – divulgou a seleção de sua 26ª edição que, em face da pandemia, será totalmente online e gratuito.,

O festival abre com “Fuga” (Flee), de Jonas Poher Rasmussen, melhor documentário no Festival de Sundance 2021, sobre um refugiado afegão que concorda em trazer à tona uma história pessoal de perseguição e fuga com a condição que sua identidade não seja revelada. Para realizar esse objetivo, seu amigo cineasta utiliza uma impressionante animação, não apenas para proteger o jovem, mas também para aprimorar a narrativa de uma jornada visceral, poética e desafiadora.

O encerramento será com “A Última Floresta”, de Luiz Bolognesi, produção da Gullane e Buriti Filmes. Um dos destaques da mostra Panorama na 71ª edição do Festival de Berlim, em fevereiro último, o filme aborda a luta do Xamã Davi Kopenawa em defesa dos Yanomamis e suas tradições.

Em entrevista ao JORNAL DO BRASIL na ocasião, Bolognesi disse que se apaixonou pela história de Kopenawa ao ler seu livro “A Queda do Céu: Palavras de um Xamã Yanomami”, e o levou a convidá-lo para elaborar o roteiro original junto com ele. “Foi um rico encontro entre o povo do cinema e o povo Ianomâmi”, afirmou o diretor.

Para a competição, foram selecionados 7 títulos brasileiros e 12 estrangeiros. Além dos filmes de abertura e encerramento, são destaques: “Alvorada”, de Anna Muylaert e Lô Politi, sobre a ex-presidente Dilma Rousseff; “Zimba”, de Joel Pizzini, trajetória e o imaginário artístico do ator e diretor Zbigniew Ziembinski (1908-1978), precursor do teatro moderno na América Latina; e “MLK/FBI”, de Sam Pollard, sobre a perseguição do FBI ao ativista Martin Luther King.

Brasileiros em competição:

“Alvorada”, de Anna Muylaert e Lô Politi
“Os Arrependidos”, de Armando Antenore e Ricardo Calil
“Dois Tempos”, de Pablo Francischelli
“Edna”, de Eryk Rocha
“Máquina do Desejo – Os 60 anos do Teatro Oficina”, de Lucas Weglinski e Joaquim Castro
“Paulo César Pinheiro – Letra e Alma”, de Cleisson Vidal e Andrea Prates
“Zimba”, de Joel Pizzini

Filmes Internacionais em competição.

“9 Dias em Raqqa”, de Xavier de Lauzanne
“Eu e o Líder da Seita”, de Atsushi Sakahara
“Glória à Rainha”, de Tatia Skhirtladze
“Gorbhachev.Céu”, de Vitaly Mansky
“História de um Olhar”, de Mariana Otero
“Leonie, Atriz e Espiã”, de Annette Apon
“Mil Cortes”, de Ramona S. Diaz
“MLK/FBI”, de Sam Pollard
“Paraíso”, de Sérgio Tréfaut
“Presidente”, de Camilla Nielsson
“Sob Total Controle”, de Alex Gibney, Ophelia Harutyunyan e Suzanne Hillinger
“Vicenta”, de Dario Doria

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais