'Yes, Nós Temos Burlesco' chega à sexta edição com homenagem ao samba-enredo 'O amanhã'

Festival de arte burlesca será inteiramente online, com shows ao vivo de artistas do Brasil e América Latina

Foto: Tata Barreto / Gataria Photography / Divulgação
Credit...Foto: Tata Barreto / Gataria Photography / Divulgação

Como será o amanhã? A pergunta imortalizada pelo samba-enredo "O Amanhã", da União da Ilha, é o ponto de partida para a sexta edição do "Festival Yes, Nós Temos Burlesco" (YNTB). A comunidade burlesca se recusa a sucumbir à sombra do distanciamento e traz uma programação 100% online, desta quarta (10) a sábado (13), com alguns dos maiores nomes do burlesco no Brasil e na América Latina.

A programação conta com eventos gratuitos e pagos. São shows, workshops, encontro virtual com artistas e rodas de debate. Ingressos e informações estão no site yesnostemosburlesco.com. É possível adquirir passes unitários, combos, e até mesmo um "full pass" que dá acesso livre a todo o conteúdo do festival.

Contemplado pela Lei Emergencial Aldir Blanc, o YNTB mostra que a arte da burla está profundamente enraizada na nossa cultura - agora, mais do que nunca, pela força da transformação política. Protagonizado por sujeitos diversos e fora de padrões sociais impostos, o burlesco parte de um lado obscurecido (e constante) nas artes cênicas e no teatro.

O ponto alto do festival são as três noites de gala, ao vivo pelo Zoom. As estrelas burlescas refletem sobre a construção do amanhã - mesmo nas condições mais adversas, o burlesco sempre escreveu história com corpos, desbunde e revolução. Foi com essa premissa que o artista burlesco DFenix, fundador do festival, fez um aceno ao samba da Ilha do Governador, seu bairro de origem.

"Sou insulano e suburbano com muito orgulho. E essa pergunta levantada pelo samba da União da Ilha está no coração de toda a classe artística brasileira nesse momento tão difícil. Afinal, como será o amanhã? Nós vamos desenhar o amanhã", reflete DFenix.

Fundadora do YNTB, a artista burlesca Miss G. conta que a edição 2021 assume profundamente seu caráter online e cibernético. A atmosfera de futuro da experiência digital se combina a uma grande reverência ao passado.

"Estamos fazendo 100 anos dos anos 1920, que foram tão revolucionários. Estamos de olho no futuro, mas reverenciamos os ícones do nosso passado, reconhecemos a história que nos circunscreve. Hoje, são os nossos corpos e carnes que são revolucionários", analisa Miss G.

As três noites de show

No dia 11, às 20h, o show "As Feiticeiras" terá Aline Esha, Miss G., Volúpia, Ewa, Viúva Negra, La Luna Lucyfear e Anita Malcher. A mestre de cerimônia é Miranda Lebrão.

No dia seguinte (12), "As Furiosas" conta com performances de Chayenne F., Niixe, Nox, Lídia Café da Manhã, Déborah Black, Fairy Adams, Sweetie Bird e Ginger Moon - apresentadas por Maybe Love e Linda Mistakes.

Por fim, no dia 13, o show "O Amanhã" terá DFenix, Henrique Saidel, Sete de Ouros, Ma.Ma. Horn, Dark Cinnamon, Lírio Negro, Ruby Hoo e Emme Blanche. A apresentação é de Juana Profunda.

Noite de abertura

A abertura oficial, nessa quarta (10), terá a exibição do filme “A senhora que morreu no trailer”, que conta a história da faquiresa Suzy King. A transmissão será gratuita, pelo canal do YNTB no YouTube. Miss G. e DFenix se juntam virtualmente aos diretores do filme, Alberto Camareiro e Alberto de Oliveira, para apresentar o longa-metragem. Um pouco antes, às 19h, será apresentado exclusivamente para portadores do "full pass" o documentário inédito "BURLA ou como fazer um corte barato", dirigido por Miss G e com participação das estrelas ganhadoras do Prêmio do Público Cannes em 2010, Julie Atlas Muz e Dity Martini.

Diálogos e capacitação

Em 2021, o YNTB reafirma seu protagonismo no burlesco brasileiro e desenha um futuro possível por meio de capacitação profissional. Estudantes bolsistas de diversas áreas do conhecimento estão recebendo aulas online dos fundadores do festival e acompanhando todos os bastidores do evento. O objetivo é preparar novos produtores e realizadores e amplificar as vozes desse gênero artístico no país.

As pontes de diálogo com a cultura não se encerram aí. Serão realizados bate-papos gratuitos com artistas de múltiplas expressões e identidades. As transmissões serão pelo YouTube e gratuitas. No dia 11, o assunto será "Burlesco e educação". O tema do dia 12 é "Abaixo à quarta parede", e terá participação da atriz e cantora Natascha Falcão e do ator Eber Inácio, da trupe do Buraco da Lacraia. Por último, no dia 13, a pauta é "Burlesco, Queers, Kings e Queens" - entre os participantes estão a artista e pesquisadora Maria Lucas, o diretor e dramaturgo Fabiano de Freitas, e o drag king e escritor Vicente Van Goth (Puri Matsumoto).

Workshops

Como já é tradição no YNTB, uma agenda de workshops abre possibilidade de treinamento para artistas da burla que querem aperfeiçoar truques e manobras. A paulista Jelly Bunny ministra o workshop "Bumps and grinds: batida e rebolado". A paraense Anita Malcher fica à frente da oficina "A dança com leques: um ABC para aflorar a criatividade burlesca". O gingado carioca fica por conta da fluminense Ewa, que dá a aula "De passo em passo: sambando na cara da sociedade".

****

SERVIÇO: Yes, Nós Temos Burlesco 2021 / Festival online / Eventos pagos e gratuitos / Venda de ingressos e programação completa. Shows ao vivo no Zoom (ingressos para os shows a partir de R$ 25) / 
11/03, às 20h - As Feiticeiras / 12/03, às 20h - As Furiosas / 13/03, às 20h - O Amanhã / Abertura (Gratuito, com transmissão pelo YouTube do YNTB) / 10/03, às 21h - exibição do filme “A Senhora que morreu no trailer” / Bate-papo (Gratuitos, com transmissão pelo YouTube do YNTB) 11/03, às 11h - "Burlesco e Educação" / 12/03, às 11h - "Abaixo à quarta parede" / 13/03, às 11h - "Burlesco, Queers, Kings e Queens".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais