Dono do jogo

Aos 56 anos, john malkovich divide seu tempo entre as atividades de ator e empresário, além de assumir posição de destaque no 10º festival internacional de marrakech, como presidente do júri p presença marcante em mais de 70 filmes e diretor de pelo menos dois deles – o curta hideous man e o longa guerrilha sem face (2002) –, john malkovich tem exata noção do que é ter o trabalho avaliado por outros. talvez seja por isso que o ator, diretor de teatro e cinema americano se sinta um tanto desconfortável com o significado literal da função que lhe é atribuída como presidente do júri do 10º festival internacional de marrakech, cujos vencedores da estrela de ouro serão revelados hoje à noite. entre os 15 títulos da competição, focada em realizadores iniciantes, está o brasileiro carlos augusto de oliveira, autor de rosa morena .

– não diria que estou julgando os filmes de outros realizadores, entendo mais como uma tentativa de promover algo que você gosta em relação a outro que talvez goste menos – explica malkovich, com a voz suave e pausada, em entrevista ao jornal do brasil . – mas não tenho qualquer problema em falar coisas ruins sobre algo que não tenha me agradado.

Posso dizer abertamente que um filme é estúpido ou mal feito, mas sei o quanto é difícil fazer um bom filme e acho que todos no júri o sabem também.

Então, essencialmente, todos nós estão assistindo aos filmes com um olhar simpático.

Aos 56 anos, malkovich sente-se no domínio de seu jogo, a ponto de dividir seu tempo como ator com o papel de empresário – é dono de uma grife de roupas, a tecnobohemian, com sede na itália, e proprietário de uma boate em portugal. é um dos poucos profissionais do ramo que transita entre superproduções de hollywood e filmes de autores europeus, sem manchar a reputação em nenhum dos dois nichos. a não ser pelo peso que o cheque faz no bolso, não vê diferença alguma em prestar serviços para filmes de ação como red – aposentados e perigosos , de robert schwentke, em cartaz no rio, ou modestos dramas de arte como um filme falado (2002), do diretor português manoel de oliveira.

– sempre fiz coisas que me interessaram na época, a diferença é que algumas funcionaram, outras não ( para o mercado ) – justifica o ator, que acabou de filmar sua participação no próximo capítulo da franquia transformers , com estreia prevista para julho de 2011. – e continuo fazendo as que me parecem estimulantes. mesmo naqueles projetos que faço apenas pelo cachê, a minha aproximação com o trabalho é a mesma. dei duro tanto em transformers 3 ou red , que são assistidos por milhões, quanto nos filmes do manoel de oliveira, que serão vistos por oito pessoas. o pior dos piores trabalhos sempre permanecerá, mas a carga de entrega a eles é a mesma.

A paixão primeira de malkovich foi o teatro, um romance que começou a tomar impulso profissional ainda nos anos 70, quando o jovem aspirante aos palcos entrou.