ARTIGOS

Na inteligência do conflito

Por TARCISIO PADILHA JUNIOR

Publicado em 06/03/2024 às 11:14

Alterado em 06/03/2024 às 11:14

'O mundo atual
é uma simulação'
                                     Jean Baudrillard

O futuro sempre parece cada vez mais próximo do presente, bem como o passado parece cada vez mais remoto.

Jamais ocorreram antes tantas mudanças, nem mudanças tão velozes, nas circunstâncias da existência humana, expõem intensidades surpreendentes hoje.

Cenário político controverso, a necessidade de prever o futuro substitui indução histórica pelo cálculo de riscos.

Se antes a estabilidade das composições e a repetição de situações e escolhas propiciavam certa previsibilidade, limitam o escopo de possibilidades agora.

A estabilidade das organizações vai depender, cada vez mais, da maneira como as mudanças forem difundidas.

Crescente sofisticação das redes aumenta preocupação em reduzir o espaço para incerteza e imprevisto, diminui tolerância para com as panes e os erros.

Mais provável que as pessoas confiem numa mudança se ela resistir concretamente a toda tentativa de oposição.

Quando administração pública funciona o conflito se dissolve na multiplicidade de pequenos ajustes e decisões, determinantes para o seu funcionamento.

"Conflitos sobre decisões dos governantes são arroz com feijão da política de todo dia", sintetizou professor A. Przeworski.

Mundo avança a passos medidos, por aproximações sucessivas, importa mergulhar na inteligência do conflito.

Engenheiro, é especialista em gestão de pequenos empreendimentos

Tags: