JUSTIÇA

Espionagem ilegal na Abin: PF intima general Heleno para depor

...

Por JORNAL DO BRASIL
[email protected]

Publicado em 30/01/2024 às 20:04

[General Heleno] Na mira da Polícia Federal Reprodução

A Polícia Federal intimou nesta terça-feira (30) o general Augusto Heleno para depor no inquérito que apura ilegalidades e esquema de espionagem ilegal na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), durante a direção Alexandre Ramagem, entre 2019 e 2022.

O depoimento foi marcado para a próxima terça-feira (6), na sede da PF, em Brasília. Heleno foi ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), e a Abin era então subordinada à pasta que ele comandava.

Nessa segunda (29), a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão contra Carlos Bolsonaro, filho do ex-presidente. A operação é um desdobramento da ação realizada na quinta-feira (25), que teve como alvo o próprio Ramagem. A PF também cumpriu mandados no gabinete do parlamentar municipal na Câmara dos Vereadores, na capital fluminense.

As investigações revelaram, segundo fontes ligadas ao caso, que Carlos teria sido beneficiado pela chamada Abin paralela em pelo menos duas situações. A assessora teria solicitado informações sobre inquéritos sigilosos envolvendo membros do clã.

O ministro Alexandre de Moraes, que autorizou a operação, afirmou que a existência de uma "organização criminosa infiltrada na Abin" foi significativamente comprovada pelas evidências coletadas até o momento.
De acordo com a decisão do ministro, a investigação aponta para a existência do "núcleo político" envolvido na espionagem, que teria monitorado indevidamente "inimigos políticos" e buscado informações sobre investigações relacionadas aos filhos de Jair Bolsonaro durante seu mandato presidencial.

Durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), a Polícia Federal (PF) estima que aproximadamente 30 mil cidadãos brasileiros foram alvo de monitoramento ilegal pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), de acordo com Andrei Passos, diretor-geral da PF.

O ex-diretor-geral da Abin e atual deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ) afirmou, em entrevista à CNN, que as informações divulgadas pela imprensa foram distorcidas e que está havendo "uma perseguição contra a direita". (com Sputnik Brasil)

Tags: