BRASIL

Bolsonarista foragido que chorou em acampamento diz que é 'torturado pelo comunismo'

Por JORNAL DO BRASIL com Agência Estado
[email protected]

Publicado em 09/03/2024 às 08:12

Esdras Jonatas Foto: Reprodução das redes sociais

Julia Camim - O bolsonarista Esdras Jônatas dos Santos, foragido da Justiça desde o dia 15 de fevereiro de 2023, publicou um vídeo em suas redes sociais dizendo que está “sendo torturado devido à ditadura, ao comunismo no Brasil”. O empresário é apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos organizadores dos movimentos antidemocráticos do início do ano passado em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Acusado de roubo e agressão a jornalistas que cobriam o desmonte do acampamento bolsonarista em frente a um quartel do Exército na capital do Estado, Santos diz que a mídia está contando mentiras envolvendo seu nome, dizendo que ele “era o líder de manifestações antidemocráticas”. No vídeo, o bolsonarista revela que está fora do País com contas bancárias e documentos bloqueados. “Eu perdi tudo”, afirma ele.

O empresário viralizou nas redes sociais e ficou conhecido como “chorão” após ir às lágrimas durante o desmonte do acampamento feito pela Guarda Municipal de Belo Horizonte. Nos vídeos, ele chama os agentes de segurança de “covardes” e diz que eles também “vão pagar caro” pelo que estão fazendo e “passar fome”.

Após o ocorrido, o bolsonarista conseguiu permissão na Justiça para a realização de um “protesto solidário”, mas o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes derrubou a liminar e aplicou multa de R$ 100 mil a Santos. O juiz que concedeu a liminar para o ato, Wauner Batista Machado, foi afastado do cargo pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Esdras Dos Santos (@esdrasdosantos)

Tags: