Crise sanitária - Quer viajar? Saiba quais países liberam brasileiros

Mais de 60 nações permitem a entrada de turistas com restrições

Foto: Epa
Credit...Foto: Epa

Após mais de um ano e meio de pandemia de Covid-19 e com a vacinação em andamento, já são mais de 60 países que permitem a entrada de brasileiros. Com mais ou menos regras, cada governo estipula o que deve ser apresentado antes e durante as viagens neste momento de crise sanitária.

No entanto, é sempre recomendado que, antes de planejar uma viagem internacional, o turista verifique nos sites de embaixadas, consulados ou governos o que é preciso fazer para ir a determinado país.

É preciso ainda ter atenção sobre o tipo de vacina aceita em cada nação, já que nem todas liberaram a Coronavac, bastante utilizada no Brasil.

Confira abaixo a situação atual:

 

Europa:

Itália - Não permite a entrada de turistas brasileiros, nem os vacinados com imunizantes reconhecidos pelo país.

Alemanha - Podem entrar pessoas vacinadas com fórmulas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) após 14 dias da aplicação. É preciso ainda apresentar teste negativo RT-PCR (72 horas) ou de antígeno (48h). Quem foi imunizado com CoronaVac só pode entrar por motivo de "extrema necessidade".

França - Para entrar na França, é preciso apresentar o comprovante de vacinação com as duas doses dos imunizantes aprovados pela EMA, após um período que vai de 14 a 28 dias.

Quem tomou CoronaVac pode entrar no país se tiver recebido uma dose de reforço da Pfizer/BioNTech pelo menos sete dias antes da viagem. Também é preciso apresentar declaração de que não tem sintomas nem teve contato com infectados. Menores entre 12 e 18 anos não precisam estar vacinados, mas têm de apresentar teste negativo RT-PCR feito há no máximo 48 horas.

Portugal - Brasileiros podem entrar mediante teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem ou de antígeno feito há no máximo 48 horas. Não é exigida vacinação, mas é preciso preencher um formulário de saúde.

Inglaterra - A partir de 22 de novembro, todos os imunizados com as duas doses de vacinas aprovadas pela OMS (com período de duas semanas), com teste negativo para a doença e com preenchimento de um documento sanitário poderão entrar na Inglaterra sem necessidade de isolamento. Parcialmente vacinados precisam cumprir quarentena e fazer dois testes.

Antes disso, só podem entrar com certificado de imunização mais o teste quem tiver sido vacinado coma Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen e AstraZeneca/Oxford - vacinados com CoronaVac precisam de quarentena de 10 dias. Mas atenção, a flexibilização não vale para os outros países do Reino Unido: Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, que ainda exigem a quarentena para vacinas que não foram aprovadas pela agência britânica.

Espanha - Para entrar, é preciso apresentar um comprovante de vacinação com as duas doses, tomadas mais de 14 dias antes da chegada, de qualquer uma das vacinas aprovadas pela OMS. É preciso ainda preencher um formulário de saúde 48 horas antes do embarque.

Suíça - Primeiro país europeu a autorizar a entrada de brasileiros, a Suíça permite vacinados com qualquer fórmula aprovada pela OMS. Além de apresentar o certificado de imunização e um comprovante negativo para Covid-19 (72h RT-PCR ou 24h para antígeno), é preciso preencher o certificado de saúde.

Bélgica - Apesar do governo "desencorajar" as viagens de turismo para a Bélgica, brasileiros vacinados com fórmulas reconhecidas pela EMA podem entrar com comprovante da imunização. Além disso, é preciso preencher um formulário de saúde e submetê-lo 48 horas antes da viagem.

Países Baixos - Os brasileiros estão liberados nos Países Baixos desde setembro. Para quem estiver vacinado com imunizantes reconhecidos pela OMS, não é necessário fazer quarentena. Quem estiver com a vacinação incompleta, não vacinado ou curado da doença há no máximo 6 meses, poderá entrar mediante isolamento. Além disso, é preciso ter um teste RT-PCR negativo feito 24 horas antes do embarque e declaração de saúde.

Irlanda - Podem entrar os vacinados com fórmulas aprovadas pela EMA - com prazos que variam de acordo com o imunizante - e um formulário de saúde. Quem não estiver vacinado precisa apresentar teste RT-PCR com até 72 horas ou comprovante de cura de até 180 dias.

Áustria - Desde 1º de novembro, brasileiros vacinados podem entrar no país sem necessidade de quarentena. Quem não for vacinado precisa fazer uma quarentena de 10 dias, que pode ser reduzida para cinco em caso de teste RT-PCR dar negativo.

 

Américas:

Estados Unidos - Os Estados Unidos reabriram para turistas brasileiros vacinados em 8 de novembro. Para entrar, é preciso apresentar um teste negativo para a Covid-19 feito há no máximo 72 horas. Menores de 18 anos não precisam apresentar comprovante de vacinação, mas ainda necessitam de teste negativo.

México - Não exige comprovante de vacinação nem teste negativo. Apenas o preenchimento de um formulário sobre a viagem.

Argentina - Brasileiros precisam apresentar comprovante de vacinação completa, com ao menos 14 dias da última dose, exame RT-PCR negativo realizado 72 horas antes da viagem e outro teste negativo entre cinco e sete dias após a entrada no país, caso o viajante faça um viagem mais longa. Também é obrigatório um seguro saúde com cobertura para Covid-19 e preencher a declaração jurada eletrônica 48 horas antes do embarque.

Uruguai - O Uruguai liberou brasileiros vacinados em 1º de novembro com a segunda dose aplicada há no mínimo 14 dias. Caso não seja imunizado, mas tenha se curado da doença nos últimos 90 dias, o turista também poderá entrar. Os viajantes precisam apresentar um teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem e refazer o exame sete dias após estar no país. Também é preciso preencher um formulário de saúde até 48 horas antes e ter um seguro de saúde que cubra Covid-19.

Bolívia - Os vacinados não precisam mais cumprir quarentena, apenas apresentar um teste RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem, e somente pessoas com mais de cinco anos. Também é preciso preencher um formulário online que deve ser apresentado no desembarque e ter um seguro de saúde com cobertura para Covid-19. Quem não se vacinou precisa cumprir quarentena de 10 dias.

Canadá - Podem entrar no país os brasileiros que completaram a vacinação com as fórmulas da Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen e AstraZeneca/Oxford. Para entrar, é preciso apresentar ainda um teste negativo RT-PCR - e todos os documentos precisam estar em inglês ou francês. Além disso, é preciso preencher suas informações pessoais no aplicativo ou site ArriveCAN.

Colômbia - Só é preciso preencher o formulário de saúde .

Equador - Vacinados precisam apresentar teste negativo para a Covid-19 feito até 72 horas antes da viagem e preencher o formulário de saúde. Quem não estiver vacinado deve cumprir 10 dias de quarentena obrigatória.

Paraguai - Brasileiros podem entrar apenas se fizerem quarentena de sete dias. Também é preciso apresentar teste negativo feito entre 24h e 72h antes da viagem, dependendo do tipo de exame, e preencher o formulário de saúde.

Chile - É possível entrar no Chile vacinado, mas é necessário fazer uma quarentena de cinco dias. Além disso, é preciso um teste RT-PCR feito até 72 horas antes, preencher um "passe mobilidade", preencher formulário online até 72 horas antes do desembarque, enviar por e-mail relatos diários ao Ministério da Saúde por 14 dias e contratar seguro contra a Covid-19 no valor mínimo de US$ 30 mil.

 

Ásia e Oriente Médio:

Catar - O Catar liberou a entrada dos brasileiros que tomaram vacinas da Pfizer/BioNTech, Moderna, AstraZeneca/Oxford, Janssen, Sinovac (CoronaVac) e Sinopharm (que não é aplicada no Brasil). Para quem recebeu uma das duas vacinas chinesas, será necessário fazer um teste rápido para a Covid-19 no desembarque (custo de cerca de R$ 400). É preciso ainda fazer um cadastro em um aplicativo.

Emirados Árabes Unidos - Apesar de haver restrições dependendo da cidade de visita, basicamente é preciso apresentar um teste negativo RT-PCR feito até 72 horas antes da viagem em laboratórios cadastrados e criar uma conta em um aplicativo do governo. Ainda é preciso um seguro de saúde contra a Covid-19.

Israel - Necessário apresentar teste negativo para a Covid-19 feito até 72 horas antes da chegada e comprovante de vacinação completa de fórmulas aprovadas pela OMS. É preciso ainda preencher um formulário de entrada no país que gerará um certificado online digital, que deve ser apresentado no check-in. É preciso ainda agendar um teste para a chegada e ter um seguro saúde contra Covid-19.

 

África:

África do Sul - A África do Sul permite a entrada com um teste RT-PCR negativo feito até 72 horas antes da viagem para todos que tenham mais de cinco anos. É preciso ainda preencher o formulário de saúde.

Egito - Podem entrar todos os vacinados completamente com fórmulas aprovadas pela OMS, apresentando o certificado de vacinação ou um teste RT-PCR negativo. Além disso, é preciso preencher um formulário de saúde durante o voo e fazer um novo teste de antígeno no desembarque. Se der positivo, é possível aguardar a contraprova. Caso os dois sejam positivos, o viajante será levado para um hospital de quarentena e, caso dê positivo novamente, fará uma quarentena de 10 dias em local determinado pelas autoridades egípcias.

Marrocos - Os vacinados com as fórmulas aprovadas pela OMS (mais a Sputnik V) estão dispensados de quarentena e precisam apresentar um teste RT-PCR negativo feito até 48 horas antes do embarque. É preciso apresentar dois formulários preenchidos, um sobre dados pessoais e outro de saúde. Não vacinados precisam cumprir 10 dias de quarentena em hotel determinado pelo governo.

Outros destinos que autorizam brasileiros, com regras específicas: Albânia, Aruba, Armênia, Bahamas, Barbados, Belize, Bermudas, Costa Rica, Croácia, Curaçao, Estônia, Etiópia, Finlândia, Islândia, Jamaica, Líbano, Liechtenstein, Maldivas, Namíbia, Omã, Panamá, Polinésia Francesa, Quênia, República Dominicana, República Tcheca, Romênia, Sérvia, Sri Lanka, Tanzânia, Tunísia, Ucrânia, Zâmbia e Zimbábue. (Tatiana Girardi/ agência Ansa)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais