Hotel do Café oferece experiência rica, exclusiva e histórica

Hospede-se numa propriedade centenária para revisitar o estilo de vida dos Barões do Café

Foto: Caroline Tonaco
Credit...Foto: Caroline Tonaco

Café é quase um sinônimo de Brasil, e certamente o Ciclo do Café – que teve início logo no começo do século 19 se estendendo até o final da década de 1920 – significou para o país um período inquestionável de riquezas, transformações e modernidade. Visitar a região do Vale do Café, no Rio de Janeiro, oferece ao viajante descanso de qualidade e a possibilidade de fazer uma viagem pelo período áureo dessa região. Imprescindível para isso, porém, é hospedar-se no Hotel do Café.

A propriedade abre as suas portas ao turista, que passa a ter acesso a esse importante trecho da história brasileira, podendo, ao mesmo tempo, experimentar o estilo de vida luxuoso dos barões do café. Da arquitetura à gastronomia, passando pela decoração, repleta de relíquias de época, o Hotel do Café é a sugestão da Travel3 para quem pratica a arte do viajar.

Macaque in the trees
Locomotiva inglesa é um tesouro de época (Foto: Caroline Tonaco)

Hotel do Café – basta chegar para aterrissar no passado imperial

O Hotel do Café está localizado no município de Rio das Flores (RJ), que faz parte do conhecido Vale do Café. São 340 km a partir de Belo Horizonte (MG) e 195 km do Rio Janeiro (RJ). O acesso é fácil, incluindo o pequeno trecho de estrada de terra. O hotel está ambientado nas instalações da Fazenda Guaritá. Fundada em 1875, a propriedade passou por restaurações que lhe devolveram todo o brilho e a suntuosidade da época.

Macaque in the trees
Bandeira Imperial de quase 200 anos é um destaque estre as obras que adornam o hotel (Foto: Caroline Tonaco)

Com um acervo digno de um museu, o hóspede transita por entre obras de arte e móveis de época + pratarias + lustres + louças + cristais que, em sua maioria, foram arrematados pelos proprietários em leilões no Brasil e no exterior. Uma das peças que mais chama a atenção é a grande Bandeira do Brasil Imperial, com quase 200 anos, que ricamente emoldurada enfeita uma das paredes do restaurante.

Outro tesouro de época é a locomotiva inglesa, a vapor, catalogada em livros especializados como uma das únicas ainda em funcionamento em todo o mundo. Ela está sempre pronta para receber os hóspedes do Hotel do Café levando-os num tour pela propriedade.


São apenas 20 suítes, cada uma com personalidade própria
O Hotel do Café tem apenas 20 suítes. Amplas e bem ventiladas, cada uma tem personalidade própria, identificada pela figura histórica que lhe cedeu o nome: Dom Pedro I, Dom Pedro II, Princesa Leopoldina, Marquesa de Santos, Barão de Vassouras, e por aí vai. O enxoval está à altura. Os lençóis são de algodão egípcio, 600 fios, bordados com as iniciais da propriedade. As salas de banho seguem o mesmo conceito e oferecem amenities da grife italiana Acqua de Parma. A ducha é forte, volumosa, com água bem quente, vinda diretamente de uma nascente da fazenda.

Macaque in the trees
Destilaria onde o hotel produz sua própria aguardente (Foto: Caroline Tonaco)

Refúgio elegante para casais e famílias em busca de sossego e privacidade
Com uma diversidade de ambientes amplos, arejados e bem iluminados, o Hotel do Café é perfeito tanto para casais em busca de sossego e privacidade quanto famílias que buscam um refúgio para passar mais tempo juntas, usufruindo da hospitalidade e da natureza ao redor. E já que estamos falando de convivência, vamos a ela.

Macaque in the trees
Anexo principal (Foto: Caroline Tonaco)

No anexo principal da propriedade está o Piano Bar, o Salão de Jogos, o restaurante e um lounge especialíssimo, réplica de uma estação ferroviária, onde a locomotiva do hotel desembarca os hóspedes. O hotel conta com uma destilaria própria, onde produz a sua própria aguardente, a Cachaça do Catito, envelhecida por 18 anos em barris de carvalho, uma grata surpresa para os apreciadores. O bar da destilaria se estende por um pátio que dá vistas para a quadra de tênis.

Macaque in the trees
Quadra de tênis do hotel (Foto: Caroline Tonaco)

Faça um tour para conhecer a história da época, na Casa Sede da fazenda
Na Casa Sede da fazenda os salões de estar e de jantar são requintados. Nessa parte da propriedade há ainda uma capela e um cinema com capacidade para 40 pessoas. Imperdível para quem gosta de história ou quer saber mais sobre o Ciclo do Café é fazer um tour guiado pela Casa Sede. As informações são curiosas e tão preciosas quanto as peças e os detalhes da decoração.

Macaque in the trees
Obras históricas decoram interiores do Hotel do Café (Foto: Caroline Tonaco)

Siga pela trilha no pomar de jabuticabeiras
O cuidado com o paisagismo e com a área externa do Hotel do Café é tão apurado quanto a arquitetura de interior do empreendimento. A fazenda é a única da região banhada pelo Rio Paraíba do Sul e uma trilha, ladeada por um pomar de jabuticabeiras é um convite irrecusável para uma caminhada apreciando a vista do rio mergulhando na Mata Atlântica.

Macaque in the trees
. (Foto: Caroline Tonaco)

Área de lazer é diversificada
E como estamos em uma fazenda cafeeira que se transformou em um hotel, é preciso estar atento à área de lazer que inclui uma piscina ladeada por espreguiçadeiras e mesas + churrasqueira. Mais ao fundo, o spa oferece salas de tratamentos e terapias + poltronas massageadoras + piscina interna aquecida + sauna seca e a vapor + sala de descanso.

Macaque in the trees
. (Foto: Caroline Tonaco)

Macaque in the trees
. (Foto: Caroline Tonaco)

Macaque in the trees
Entrada, prato principal e sobremesa no Hotel do Café (Foto: Caroline Tonaco)

Gastronomia histórica faz releitura de época
E como descansar e relaxar tem tudo a ver com comer bem, deixamos a inesquecível gastronomia do Hotel do Café para o final. Ela começa a ser degustada bem cedo, no café da manhã. Feitos na fazenda, os queijos + iogurtes + coalhadas + bolos + geleias + pães são iguarias. Ovos e omeletes são preparados na hora, conforme o paladar do hóspede.

Para almoço e jantar, o serviço é a la carte. O cardápio inclui pratos históricos, dando ao hóspede um vislumbre da alta culinária do Ciclo do Café. Para isso foi feito um estudo que resultou em uma releitura de receitas do período, entre as quais estão as prediletas de personagens como D. Pedro I, Carlota Joaquina, a Imperatriz Leopoldina, o Barão de Vassouras e Joaquim Nabuco; entre outros. Quem comanda a cozinha é o Chef Adilson Batista, pupilo do Chef Laurent Suaudeau. E como o objetivo é oferecer uma viagem ao passado, os souplats, os talheres de prata e a porcelana estampada com nobre brasões completam de maneira impecável, o cenário de uma refeição ao estilo dos Barões do Café.

Por tudo isso, o Hotel do Café foge ao estilo das propriedades rurais e se transforma em uma atração em si. Um destino único que você precisa descobrir e degustar.



Visitar a região do Vale do Café, no Rio de Janeiro, oferece ao viajante descanso de qualidade
Locomotiva inglesa é um tesouro de época
Bandeira Imperial de quase 200 anos é um destaque estre as obras que adornam o hotel
Destilaria onde o hotel produz sua própria aguardente
Anexo principal
Quadra de tênis do hotel
Obras históricas decoram interiores do Hotel do Café
.
.
.
Entrada, prato principal e sobremesa no Hotel do Café