Bruxismo piorou na pandemia

Bruxismo - o que é e por que muitas pessoas reclamam que o problema aumentou

Pixabay
Credit...Pixabay

Ansiedade, medo, dúvidas e preocupações. A pandemia despertou muitos sentimentos e questionamentos em muitas pessoas. Algumas tiveram impacto na saúde física e mental. Um dos problemas que muitas pessoas relatam em clínicas odontológicas ter piorado muito nesse período de pandemia é o bruxismo. “Essa é uma desordem de movimento relacionada ao Sistema Nervoso Central, com causa desconhecida. Mas sabe-se que é extremamente ligada ao estress”, explica Dr Anderson Marques, Cirurgião dentista especialista em Odontologia estética pela USP de Ribeirão Preto e
Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética. Membro da Federação Internacional de Odontologia Estética (Ifed).

“ Foi observado, em todo o mundo, durante esta Pandemia, um aumento significativo dos casos de bruxismo nos consultórios odontológicos. Acredita-se que este aumento se deve ao grande quadro de estresse que todos nós passamos por conta da tensão com a covid 19. O organismo descarrega de alguma forma, esse estresse no sistema estomatognatico, ou seja, durante a fase de tensão,nós passamos a apertar a musculatura facial e acabamos por prejudicar os dentes também”, detalha Dr. Anderson.

O bruxismo é dividido em duas categorias.”O cêntrico ou apertamento dental e o excêntrico que é o ranger dos dentes. O primeiro, afeta mais a musculatura do rostocausando fadiga muscular, dores de cabeça e ate mesmo assimetrias faciais. Já o segundo, pode causar desgastes dentários e até mesmo fraturas dos dentes. Consequências estas, que podem ser irreversíveis, por isso a importânciade tratar de forma precoce já nos primeiros sintomas”, detalha Dr. Anderson.

Desgate dos dentes e dores articulares costumam ser as maiores reclamações dos pacientes. “Dentro os malefícios que o bruxismo pode acarretar, posso dizer com segurança, que o desgaste dentário é o mais presente nas pessoas que apresentam esse distúrbio de movimento. Sendo esta, uma consequência irreversível que vai gerar tratamentos odontológicos restauradores, que poderiam ser evitados se o paciente tivesse iniciado um tratamento precoce contra o bruxismo.

Outros pacientes chegam com muitas dores musculares de forma aguda, sentem uma fadiga muscular extremamente desconfortável na região da face. Em casos mais severos, comprometimentos articulares podem aparecer, e o paciente passar a ter uma DTM, que é o distúrbio da articulação temporomandibular. Ou seja, essas dores podem passar da musculatura para esta articulação, e estalidos ao abrir a boca também podem aparecer”, explica Ticiana Campos, Membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética e da Federação Internacional de Odontologia Estética (Ifed), cirurgiã dentista especialista em reabilitação oral pela USP de Bauru. 

Existem diversas opções de tratamento, porem não há cura para o bruxismo. “Dentre as diversas opções de tratamento destaco: Placa Miorelaxante para proteção dos dentes e da musculatura, paciente utiliza ao dormir; Aplicação de Toxina Botulínica (botox) que diminui a força muscular e consequentemente, alivia as dores e os problemas advindos deste quadro; e tratamento com fisioterapeuta, acunputurista, psicólogos também podem ajudar nestas situações”, afirma Anderson Marques, cirurgião dentista especialista em odontologia estética pela USP de Ribeirão Preto.

Para Ticiana, “em primeiro lugar, posso destacar a utilização de uma placa miorrelaxante. É uma placa rígida em resina acrílica que o paciente utiliza durante o sono fazendo com que os dentes fiquem protegidos um dos outros. Quando o nível de stress do paciente é muito alto, podemos indicar um acompanhamento com fisioterapeuta, e até mesmo com um psicólogo”, explica a dentista.

“Uma vez que o bruxismo está instalado, as crises podem ser recorrentes. Para quem não sofre desse problema, porém esta inserido numa sociedade ou numa fase de vida mais estressante, é interessante ter uma válvula de escape, como um hobbie ou um laser”, conclui Ticiana.