Maquiagens são vendidas com substâncias que causam câncer

Pesquisa revela elemento tóxico encontrado nos cosméticos

Foto: divulgação
Credit...Foto: divulgação

Um estudo recente feito pela Environmental Science & Technology mostrou que substâncias usadas em produtos de combate a incêndio, como espumas e ‘sprays’, estavam sendo usadas em maquiagens.

As substâncias estavam presentes com a proposta de promover longa duração e resistência à água, principalmente em batons e máscaras de cílios. Entretanto, o produto labial é o que mais contém o elemento cancerígeno e com alta toxicidade.

As maquiagens tornaram-se as melhores amigas de muitas pessoas nas últimas décadas. Atualmente, mesmo com o uso das máscaras, elas continuam presentes, principalmente as específicas para realçar o olhar.

Não é à toa que o Brasil é o quarto maior mercado de cosméticos no mundo, segundo uma pesquisa feita pelo Euromonitor. Contudo, é preciso cuidar da pele, para que os resultados da maquiagem sejam satisfatórios e saber sobre a composição dos produtos químicos que estão sendo usados.

Pesquisa reveladora

Foram feitos testes em 231 produtos de marcas diferentes, vendidos nas prateleiras das lojas mais famosas de cosméticos dos Estados Unidos e do Canadá. Em todos os produtos foram encontradas as substância perfluoralquil e polifluor alquil (PFAS), que são altamente tóxicas, além de serem prejudiciais ao meio ambiente.

PFAS é uma substância cancerígena

Foi comprovado que a PFAS é altamente perigosa para a saúde pois, uma vez em contato com o organismo, não é eliminada, mas sim acumulada. A substância não afeta só a saúde dos seres humanos, mas também o meio ambiente e os animais, principalmente os animais marinhos.

O perfluoralquil e polifluor alquil costumam ser utilizados em produtos domésticos e industriais, como em revestimentos resistentes à água e a manchas, revestimentos resistentes a óleos, gorduras e espumas de combate a incêndios, surfactantes, tratamento de superfícies e inseticidas.

“Esse composto é muito encontrado nas águas e pode causar câncer. Apesar de fazer mal a todos, infelizmente, ele ainda é usado em muitos produtos, além dos cosméticos”, pontua a dermatologista pós-graduada em Harvard e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Valéria Campos.

Ela explica que o composto permanece no meio ambiente por muito tempo. “Imagine, então, os efeitos ao colocá-lo diretamente na boca e nos olhos?” Nesse sentido, a especialista alerta que, “por ser a substância hidrofóbica, ou seja, resistente à água, o que propõe tornar a maquiagem ‘especial’, é, na verdade, preocupante”.

Atenção

“Precisamos ficar atentos, porque se trata de uma substância cancerígena; os produtos mais baratos costumam ter mais metais tóxicos, apesar de isso não vir escrito nas embalagens”, afirma a especialista.

Um dos alertas mais importantes, segundo Valéria, é sobre o uso dessas maquiagens em crianças. “Elas não podem usar qualquer produto, porque a pele da criança é mais sensível. Existem produtos adequados, mas é preciso sempre ter cuidado.

Empresas não informam sobre as substâncias

Conforme a pesquisa, não existe um requisito que obriga as empresas de cosméticos a informarem todas as composições de seus produtos, o que passaria segurança sobre os seus ingredientes ao consumidor. Assim, acabam consumindo algo prejudicial à saúde.

“É importante pressionarmos as empresas a divulgarem o que estamos consumindo; é preciso constar nas embalagens, quais são os ingredientes usados. Essas substâncias encontradas nas maquiagens podem ser alergênicas e cancerígenas e todos têm o direito de saber sobre isso”, assegura Valéria Campos.

O estudo não divulgou o nome dos produtos que foram encontrados com a PFAS, mas pretende alertar a todos os consumidores sobre os riscos, além de ser uma maneira de fazer as empresas informarem aos seus clientes o que eles estão consumindo de fato.