Combatendo o analfabetismo emocional

Livro documenta pandemia através de relatos de sobreviventes no país

Foto: Paula Sader/divulgação
Credit...Foto: Paula Sader/divulgação

Chega às livrarias em agosto o livro "Covid-19: Emoções em Colapso", da psicóloga e escritora Carina Alves. Publicação, que terá lançamento dia 10 de agosto, na Casa da Glória, traz um breve inventário da crise sanitária no Brasil de maneira original: através de relatos de sobreviventes, gente que foi e segue sendo testada em sua fé na vida após o acontecimento do novo Coronavírus. Executiva, professora, psicóloga, escritora, cidadã, ativista social, doutora em formação na Educação, Carina Alves é muitas. Sobretudo, é sobrevivente do novo Coronavírus. Carioca, ela precisou mudar, temporariamente, para Minas Gerais para cuidar de si mesma e dos pais durante a primeira onda da doença. Todos se contaminaram. Sem parar de trabalhar home-office, em pleno turbilhão de 2020, ela passou a reunir relatos de pessoas nacionalmente, tanto de seu círculo privado como anônimas, para formar um mapeamento desta época histórica. É de cada uma dessas escutas que se faz o livro, que sai pela editora Brazil Publishing e pode ser comprado em livrarias físicas e também pela Amazon. O preço de capa é R$ 69.

“Emoções em Colapso é um trabalho de inteligência emocional, de combate ao analfabetismo emocional, precisamente. É urgente trabalhar a nossa mente e acessar nossos recursos internos”, afirma. Ao longo das 172 páginas do livro, a autora registra a rotina que tomou de assalto a rotina do Brasil desde a decretação da pandemia. Entre os relatos que o livro apresenta está o de uma enfermeira em abril de 2020. “Ajudo pessoas com essa doença. Mas não consegui ajudar meus pais. Perdi os dois para covid-19. Sinto-me culpada porque não consegui fazer nada por eles”, relata.

Do assombro com a morte de milhares num único dia, o livro vai apresentando falas que colocam o leitor de frente para aspectos da pandemia cada vez mais impactantes. “Sou cadeirante e meu irmão também. Ambos temos paralisia cerebral. Eu tenho o cognitivo preservado e ele não. Nós morávamos com a minha mãe e ela morreu por agravamento da covid-19. Eu penso em tudo e estou desesperada. (...) A pandemia para as pessoas com deficiência tem uma proporção dez vezes pior”.

Carina Alves é psicóloga com especialização em psicologia do Esporte, doutoranda em Educação, na perspectiva inclusiva pela UFRRJ, pesquisadora do LEPEDI (Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação, Diversidade e Inclusão), Mestra em Letras e Ciências Humanas com ênfase em esporte e inclusão, formação em Wellness pela University of Wisconsin e Biopsicologia, empreendedora social, escritora, podcaster e gestora de projetos educacionais de cooperação internacional com países europeus.

Carina trabalhou com atletas paralímpicos de alto rendimento. Mas também foi analista de projetos de Esporte e Lazer da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), respondendo pela criação de iniciativas para contemplar funcionários de 21 unidades do Sesi Rio.

Em 2018, fundou o Instituto Incluir, resultado de toda sua caminhada. Agora, dedicada a inclusão, a formação de professores e ao bem-estar e desenvolvimento de pessoas com e sem deficiência, mas também ao atendimento às famílias. “Meu desejo é trabalhar num lugar da sociedade em que todos tenham acesso a medalha. A pessoa conseguir amarrar o próprio sapato e dar 30 passos, as mães tendo lugar de fala, obtendo atendimento nutricional e psicológico. É fundamental! A criança e o jovem em situação de deficiência estão numa faixa de 85% das famílias chefiadas apenas por mulheres no país. É uma potência feminina absurda”, diz.

Serviço: “Covid-19: Emoções em Colapso” – De Carina Alves / Editora Brazil Publishing, 172 / págs., R$ 69 / Sinopse: livro reúne relatos de brasileiros sobre a sobrevivência na pandemia.