Nova cepa da covid-19, possivelmente mais contagiosa, é descoberta na Noruega

De acordo com o Instituto Norueguês de Saúde Pública, a Noruega figura entre os melhores países da Europa em termos de análises virais, motivo pelo qual novas cepas são constantemente descobertas no país

Foto / Pixabay / TomekRz
Credit...Foto / Pixabay / TomekRz

Uma nova cepa do coronavírus, que contém similaridades com as cepas do Reino Unido e da África do Sul, foi descoberta na Noruega.

Nas últimas 24 horas, diversos casos da nova variante, nomeada B.1.525, foram registrados no país, segundo a emissora NRK.

"Nós ainda não sabemos se é mais contagiosa, mas pode ser. Há mudanças na área do vírus, que podem influenciar na infecção", afirmou Line Vold, diretora do Departamento de Epidemiologia de Doença Infecciosas do Instituto Nacional de Saúde Pública (FHI, na sigla em inglês).

O instituto norueguês descobriu algumas mutações, que Vold descreveu como um desenvolvimento natural de mudança constante do vírus. Ela também afirmou ser impossível dizer se o coronavírus foi importado ou é uma infecção doméstica.

De acordo com a NRK, a Noruega está "entre o top quatro dos países europeus" na análise de novas variantes virais, atrás apenas de Reino Unido, Dinamarca e Islândia.

"Muitos países não são bons em cumprir as exigências das análises, que diz quais tipos de variante viral estão circulando", afirmou Vold.

Vold se comprometeu a manter a nova variante em observação, uma prática usada com outras mutações suspeitas de serem mais infecciosas.

Particularmente, o instituto norueguês está de olho na prevalência das variantes de Reino Unido e África do Sul, que são consideradas mais contagiosas.

No momento, a mutação britânica é responsável por seis infecções em Oslo, e tem se espalhado para outros municípios. A nível nacional, foram descobertos cerca de 700 casos.

Além disso, 42 casos da mutação sul-africana foram detectados, e os pesquisadores não estão certos se vacinas podem ajudar.

Ao todo, a Noruega tem mais de 67 mil casos de covid-19, com mais de 600 mortos. (com agência Sputnik Brasil)