Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Rio

"Tive uma vida muito além dos meus dinheiros lícitos", diz Cabral

Em depoimento a Bretas, ex-governador pediu desculpas à população por "uso de caixa 2"

Jornal do Brasil

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral admitiu, nesta quinta-feira (14), que seus gastos pessoais usaram grande volume de dinheiro irregular. "Tive uma vida muito além dos meus dinheiros lícitos", afirmou, em depoimento ao juiz  Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Cabral ainda pediu desculpas à população do estado por ter usado caixa 2. "Peço desculpas à população por ter feito uso de caixa dois, e de sobra de caixa dois". Contudo, o ex-governador negou ter pedido propina a empresas, como sustentam o Ministério Público Federal e delatores.

"Tive uma vida muito além dos meus dinheiros lícitos", diz Cabral

Além do ex-governador, seus ex-secretários Hudson Braga (Obras) e Wilson Carlos (Governo) prestaram depoimento nesta quinta-feira, em processo que os acusa de desvios de R$ 47 milhões em obras como o PAC Favelas, Arco Metropolitano e Linha 4 do Metrô.

"Afirmo ao senhor que fiz consumo pessoal desses recursos [de caixa dois] e afirmo que fiz muito uso nas campanhas eleitorais minhas e de outros", disse Cabral a Bretas, acrescentando que provar que gastou esse dinheiro em campanhas implicaria "citar companheiros de todas as lutas políticas ao longo dessa jornada".

O ex-governador negou que tenha tratado de propina com o ex-secretário de Transporte Julio Lopes, e negou a cobrança da chamada "taxa de oxigênio", que corresponderia a 1% do valor de obras. Cabral ainda classificou as planilhas do operador Luiz Carlos Bezerra como "planilhas de bêbado". Elas indicavam apelidos e distribuição de propinas.

Bretas perguntou se não seria  uma "coincidência terrível" Cabral ser citado por variadas pessoas como beneficiário de propina. "Não é coincidência não. Todos que apontaram o dedo para mim tiveram benefício. Só tem um caminho, apontar o dedo para (Sérgio) Cabral. Cadê as provas?", questionou o ex-governador.

Em determinado momento do depoimento, Cabral destacou feitos de seu governo. Em tom humorado, Bretas interrompeu : "Posso ter uma reclamação da Justiça Eleitoral dizendo que o senhor está fazendo campanha antecipada."

Torcida pelo Flamengo

Ao final, Cabral, também em tom humorado, disse que torceu "à beça" para o Flamengo contra o Independiente, na final da Sul-Americana, para que o seu time, o Vasco, entrasse direto na fase de grupos da Libertadores. Bretas, também com humor respondeu:  "Não consigo acreditar nesta informação. Mentir aqui é um problema."

Hudson Braga e a "taxa de oxigênio"

O ex-secretário de Obras Hudson Braga também depôs hoje, e reafirmou ter recebido propina da Andrade Gutierrez pela urbanização do Complexo de Manguinhos. Contudo, Braga negou ter recebido dinheiro ilícito pelas obras do metrô. Em maio, ele já admitira a “taxa de oxigênio” paga pela Andrade Gutierrez. “Essa questão de 1% não foi criada por mim. (…) Meu erro foi ter acatado isso”, disse Braga, que apontou o ex-secretário de Governo Wilson Carlos como a pessoa que deu a ordem para recolher a propina.



Tags: bretas, cabral, depoimento, ex-governador, jato, juiz, lava, propina

Compartilhe: