Jornal do Brasil

Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Rio

Estado do Rio supera meta de vacinação contra a gripe

Balanço parcial aponta que 80,42% do público-alvo foi imunizado durante a campanha

Jornal do Brasil

O estado do Rio de Janeiro atingiu a meta estipulada pelo Ministério da Saúde de vacinação contra a gripe em 2016 e imunizou 80,42% do público-alvo, o que representa um total de 2.929.796 pessoas vacinadas. O balanço é parcial e o número de pessoas imunizadas deve ser ainda maior, já que as secretarias municipais de saúde ainda estarão atualizando seus dados ao longo das próximas semanas. Antecipada no RJ devido ao aumento do número de casos de H1N1, a campanha nacional de vacinação foi encerrada na sexta-feira (20/5). 

- Antecipar a vacinação foi uma medida preventiva que adotamos, que se mostrou acertada desde o primeiro momento. A queda da temperatura que iremos observar daqui para frente pode colaborar para o aumento da transmissão. Portanto, é essencial que a nossa população mais vulnerável esteja protegida – afirma Luiz Antônio Teixeira Jr., secretário de Estado de Saúde. 

A meta da campanha nacional era imunizar 80% dos grupos prioritários, compostos por gestantes, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, mulheres com até 45 dias após o parto, pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas. Mais de 3 mil postos em todo o estado atuaram na distribuição das vacinas, que imunizam contra os três subtipos de gripe que mais circulam no inverno: A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B. 

- Na maioria dos casos, a gripe não apresenta complicações, mas entre os grupos prioritários, é uma doença que pode evoluir para casos mais graves. A vacina é uma forma segura e eficiente de se proteger – destaca o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

 Campanha antecipada 

No Rio de Janeiro, a secretaria de Estado de Saúde antecipou a campanha de vacinação contra a gripe, que teve início em 25 de abril. Nesta primeira fase, foram imunizados gestantes e crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, além de pacientes renais crônicos. Já a partir do dia 30 de abril, quando começou a campanha nacional, com o Dia D contra a gripe, a vacinação foi estendida para os demais grupos prioritários. Em 2015, o estado do Rio de Janeiro atingiu 80,94% de cobertura vacinal, ultrapassando também a meta do Ministério. 

Contraindicação 

As únicas contraindicações são a alergia aos componentes da vacina, principalmente à proteína do ovo, e os portadores de doenças neurológicas em atividade. Vale ressaltar que pessoas que podem comer ovo frito, pão, bolo ou macarrão não têm essa alergia. Quem estiver com gripe ou apresentado estado febril ou sintomas de dengue, o recomendado é esperar melhorar, para depois se vacinar. O imunizante deve ser tomado todos os anos. A escolha pelo período do outono para a aplicação é estratégica, pois a vacina precisa de duas semanas para induzir alguma proteção e de quatro a seis semanas para que a máxima proteção seja alcançada. Como o inverno é período de maior circulação do vírus, tomando a vacina no outono garante-se máxima proteção no período de maior circulação do vírus. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacinação é a forma mais eficaz para prevenir a gripe e suas complicações. Provocada pelo vírus Influenza, a gripe ataca todos os anos entre 10 e 20% da população do planeta – algo em torno de 600 milhões de pessoas. Se não for tratada, pode gerar complicações que provocam entre 250 mil e 500 mil mortes por ano e milhões de internações. As complicações mais comuns são pneumonia, infecção no ouvido (otite) e inflamação nos brônquios (bronquite).

Tags: Rio, SAÚDE, h1n1, prevenção, vacina

Compartilhe: