Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Outubro de 2017

Rio

Parte de ciclovia desaba em São Conrado, Zona Sul do Rio

Jornal do Brasil

Um trecho da ciclovia Tim Maia, na avenida Niemeyer, Zona Sul do Rio de Janeiro, desabou na manhã desta quinta-feira (21), e causou a morte de dois homens, um deles de 53 anos. Inaugurada em janeiro com quase quatro quilômetros de extensão, a obra custou cerca de R$ 45 milhões. Pelo menos três pessoas ficaram feridas e foram resgatados, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. A ciclovia continua a ser construída, para ter sete quilômetros.

A prefeitura informou que os reparos serão executados pela empresa responsável pela construção, já que a ciclovia ainda está na garantia de obra. A Avenida Niemeyer permanece interditada ao tráfego e o Corpo de Bombeiros continua as buscas no local. O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que os motoristas devem seguir pela Autoestrada Lagoa-Barra.

O resultado da vistoria realizada pela Fundação Geo-Rio para apurar as causas do acidente será divulgado assim que concluído, informou a prefeitura em nota.

Dois homens morreram com o desabamento; Corpo de Bombeiros busca possíveis novas vítimas
Dois homens morreram com o desabamento; Corpo de Bombeiros busca possíveis novas vítimas

Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), Reynaldo Barros afirmou que é preciso analisar o projeto antes de se chegar a conclusões: "Qualquer afirmativa a respeito do que se tem é prematura, é necessário avaliar com muito cuidado". 

Pedro Paulo, secretário municipal de governo, em entrevista à imprensa no local, comentou que o acidente foi fruto de uma ressaca, de uma onda de baixo para cima, e que é preciso aguardar o laudo de engenheiros para dar o parecer sobre o que aconteceu. Repetindo que o importante agora é deixar o Corpo de Bombeiros trabalhar, o secretário informou que há buscas por uma possível terceira vítima fatal. 

>>Responsável por construção de ciclovia pertence à família de secretário de Paes

O secretário destacou ainda que a empresa responsável pelas obras, a Concremat, avalia os aspectos do desastre "inaceitável". 

Em nota enviada à imprensa durante a tarde, a prefeitura informou que o prefeito Eduardo Paes lamenta profundamente o acidente e se solidariza com as famílias das vítimas e com todos os cariocas. O prefeito estava em deslocamento para a Grécia, onde participaria, em Atenas, da cerimônia de passagem da tocha olímpica, mas já estava voltando para Brasil. Ele vai atender à imprensa nesta sexta-feira, quando chegar ao Brasil, sem horário previsto.

"É imperdoável o que aconteceu, já determinei a apuração imediata dos fatos e estou voltando para o Brasil para acompanhar de perto", disse o prefeito.

A Prefeitura do Rio destacou na nota que a prioridade neste momento é garantir a segurança da população e o atendimento às vítimas e aos seus familiares. Técnicos do município trabalham no local com coordenação da Secretaria Municipal de Obras. 

Tags: Rio de Janeiro, Vítimas, avenida niemeyer, ciclovia, obra, são conrado

Compartilhe: