Jornal do Brasil

Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Rio

Prefeitura inaugura primeiro trecho da Orla Conde na Região Portuária

Jornal do Brasil

O prefeito Eduardo Paes participou, na manhã deste domingo (3/04), da inauguração do primeiro trecho da Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde, uma área de 600 metros antes restrita ao uso militar que agora oferece uma área de convivência dotada de mobiliário urbano e paisagismo diferenciado em seus 22 jardins. A partir de agora, cariocas e visitantes terão livre acesso ao caminho entre o Museu do Amanhã, na Praça Mauá, e a Praça Barão de Ladário, na Rua Visconde de Inhaúma, paisagem até então desconhecida às margens da Baía de Guanabara, entre a Ilha das Cobras (da Marinha) e o Mosteiro de São Bento. A criação do novo passeio da cidade é fruto de acordo celebrado entre a Prefeitura do Rio e o Comando do 1º Distrito Naval durante o processo de demolição do Elevado da Perimetral.

- Inaugurar este trecho da Orla Conde representa o resgate da cidade com a sua razão de ser, que é a Baía de Guanabara. E isso se dá graças ao permanente diálogo da prefeitura com a Marinha. É muito bom reconhecer as grandes intervenções da cidade e os grandes homens que passaram pela história do Rio. Se fiz alguma coisa boa para o urbanismo carioca, o fiz inspirado pelos ensinamentos de Luiz Paulo Conde - disse o prefeito.

Com entrega prevista para este primeiro semestre de 2016, as obras da orla atingiram 81% de execução. Assim que for totalmente concluído, o eixo que se forma ao longo deste novo caminho reunirá nove grandes praças, proporcionando maior contato dos moradores e visitantes da cidade com a história do Centro e da Região Portuária do Rio, além de conectar 27 importantes centros culturais do Aterro do Flamengo ao parque da Avenida Rodrigues Alves. Totalizando uma área de convivência de 287 mil m² e 3,5 quilômetros, desde o Armazém 8 até o Museu Histórico Nacional, o projeto marcará o novo desenho urbano traçado pelo conjunto de obras do Porto Maravilha, que está sendo executado pela Concessionária Porto Novo.

A construção desse trecho do passeio representou um enorme desafio de engenharia para que fosse criada uma passagem em forma de bumerangue, com 70 metros de extensão, sob a ponte que dá acesso à Ilha das Cobras. Para essa obra, balsas foram utilizadas para fixar oito estacas metálicas que compõem a fundação da estrutura com piso revestido em madeira de deque. Além do mobiliário urbano, o local recebeu plantas como pata-de-vaca, ipê amarelo, pau-brasil e pitanga.

Presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) e grande amigo do ex-prefeito Luiz Paulo Conde, o arquiteto e Doutor em Urbanismo Sérgio Magalhães ressaltou o amor de Conde pela cidade:

- Ele foi um grande amigo e companheiro de trabalho. Entre suas muitas atividades, ele fez de sua paixão pelo Rio de Janeiro sua principal bandeira, sempre objetivando o crescimento da cidade e o desenvolvimento de projetos que reduzissem a quantidade de carros nas ruas e favorecessem outros modais de transporte.

Para a Marinha do Brasil, o local permitirá que o público, enfim, tenha acesso às construções militares históricas, como é o caso do antigo Armazém do Sal, que data do século XVIII, sede do Comando do 1º Distrito Naval, além do Edifício Almirante Tamandaré, prédio que abrigou o Ministério da Marinha antes de sua transferência para Brasília. Cariocas e visitantes também poderão contemplar o Edifico Almirante Gastão Motta, construído na década de 20, bem como os navios de guerra atracados na Ilha das Cobras.

- Só posso dizer que, para a Marinha do Brasil, essa parceria com o governo municipal é motivo de muito orgulho. A Orla Conde mostrará, ao longo de seu trajeto, a importância da nossa participação na história do Brasil - afirmou o Vice-Almirante e comandante do 1º Distrito Naval, Leonardo Puntel.

Do passeio o carioca também pode ver o Mosteiro de São Bento, fundado por monges beneditinos vindos da Bahia em 1590. O prédio foi construído com pedras retiradas do Morro da Viúva, no Flamengo, por africanos escravizados. Além dele, erguido na Praça Mauá, o Museu do Amanhã explora possibilidades de construção do futuro. Projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava sobre a Baía de Guanabara, foi inaugurado pela prefeitura em dezembro de 2015.

Nascido em Petrópolis, região serrana do estado, e morador de Copacabana há mais de 30 anos, o aposentado e ciclista Edson de Souza Leite, de 63 anos, percorreu e aprovou a nova área de convivência da cidade. Para ele, as intervenções que o governo municipal está realizando na região estão recuperando o orgulho dos cariocas por sua cidade e atraindo um número ainda maior de visitantes:

- Há muito não via a Região Portuária do Rio tão bonita. Confesso que vi a demolição do Elevado da Perimetral com certo receio, mas hoje vejo o quanto estava errado. São obras que estão dando cara nova e segurança a esta região. Se antes não podíamos andar por aqui, por medo da violência, hoje é o lugar preferido de todos, cariocas e visitantes. E posso garantir que farei deste o meu trajeto diário.

A inauguração do primeiro trecho da Orla Conde também foi acompanhada por representantes do governo municipal, como o secretário executivo de Coordenação de Governo, Pedro Paulo, pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), Alberto Silva, e pelo secretário especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas, Jorge Arraes. A cerimônia também reuniu o presidente da Concessionária Porto Novo, José Renato Ponte, e familiares do homenageado.

Tags: Paes, Rio, eduardo, portuária, prefeitura

Compartilhe: