Jornal do Brasil

Sábado, 29 de Abril de 2017

Rio

Secretaria de Segurança apura informações sobre supostos ataques após morte de Playboy

Jornal do Brasil

A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro (Seseg) informou que desde o último sábado, 8, após a morte do traficante Playboy, inúmeros vídeos, áudios e mensagens estão chegando aos moradores da cidade através das redes sociais e de aplicativos como o Whatsapp. 

Segundo informações da secretaria, os avisos estão sendo investigados e os autores das mensagens sendo rastreados. Eles pedem para que a população não entre em pânico e sigam vivendo suas vidas normalmente.

"Desde sábado, após a morte do Playboy, dezenas de vídeos, áudios, e mensagens estão circulando. Alguns com piadas e outros com supostas ameaças. Nós estamos investigando e tentando rastrear os autores dessas mensagens. A indicação da secretaria é que as pessoas saibam filtrar os trotes, e, principalmente seguir levando suas vidas normalmente. Não podemos deixar as mensagens gerarem um pânico na vida em sociedade". Comentou a Secretaria de Segurança ao Jornal do Brasil.

Playboy foi morto após operação policial no Morro da Pedreira
Playboy foi morto após operação policial no Morro da Pedreira

Nesta sexta-feira (14), um áudio está circulando através do aplicativos de mensagens, Whatsapp, que está assustando os cariocas. No áudio, um homem que não se identifica, apenas diz ser integrante de uma facção criminosa, alerta os moradores do Rio de Janeiro para não embarcarem nas estações do metrô da Pavuna e da Central na sexta-feira, no horário do rush (entre 17h e 19h).

De acordo com o suposto bandido, após a morte do traficante Playboy, as facções criminosas pretender se unir para tomar o Rio de Janeiro, e uma das medidas foi investir em granadas e explosivos para explodirem as estações da Pavuna e da Central, duas das mais movimentadas da cidade.

No áudio, o homem alega estar abrindo o jogo pelo fato de possuir parentes e amigos que fazem uso do metrô para ir trabalhar, e pede para que as pessoas, mesmos as que não acreditam na informação, evitem utilizar o metrô na sexta-feira e deem preferência aos ônibus.

Morte de Playboy

O traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como Playboy, considerado um dos principais alvos da Secretaria de Segurança, foi morto durante uma operação da polícia no início da tarde do último sábado (8), no Morro da Pedreira, na Zona Norte do Rio.

Playboy foi baleado durante uma ação da Coordenadoria de Recursos Especiais da Plícia Civil (CORE), com apoio da Polícia Federal. Após ser atingido, o traficante foi encaminhado para o Hospital Federal de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Na última terça-feira (11), Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, e Cláudio José de Souza Fontarigo, o Claudinho da Mineira,dois dos traficantes mais procurados do Rio foram presos durante operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Costa Barros.

Além de Fu e Claudinho, os policiais prenderam outros quatro traficantes, entre eles, César Augusto Alta de Araújo, o PQD, e Eduardo Luís Paixão, o Duda 2D. Eles foram encaminhados para a 39ªDP (Pavuna).

Na tarde de quinta-feira (11), o traficante Jean Raynne da Silva Andrade, o Jean Piloto, morreu após ser baleado em confronto com agentes da Polícia Civil durante operação no Morro da Quitanda, em Costa Barros. Ele era o homem de confiança de Playboy, e um dos maiores assaltantes de carga do estado.  A quadrilha de Playboy era considerada a mais violentas do Rio e ele já havia sido condenado por tráfico de drogas, roubo e homicídio.

Jean Raynne postou várias fotos de Playboy no seu perfil no Facebook , comentando que estava "cheio de ódio" para "vingar" a morte de Playboy.

Na manhã desta sexta-feira (14), a polícia faz operação na para prender possíveis sucessores de Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, morto do último sábado (8). Entre os procurados está Carlos José da Silva Fernandes, conhecido como Arafat.

 

Tags: criminosos, facções, Rio, tráfico, violência

Compartilhe: