Jornal do Brasil

Sábado, 29 de Abril de 2017

Rio

Rio: polícia afirma que médium morto no Frei Luiz foi vítima de latrocínio

Resultado da perícia que vai apontar as causas da morte sai em duas semanas

Jornal do Brasil

Apesar da Polícia Civil ainda não ter concluído o inquérito que investiga a morte do médium Gilberto Arruda, encontrado morto no dia 19 de junho, dentro da sua residência, no Centro Espírita e Educandário Lar de Frei Luiz, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, a Divisão de Homicídios já adiantou que o crime foi de latrocínio (roubo seguido de morte). O resultado da perícia que vai apontar as causas do assassinato sai em duas semanas e até lá o delegado Daniel Rosa, responsável pelo caso, deve ouvir novas testemunhas.

Médium Gilberto Arruda
Médium Gilberto Arruda

Os investigadores concluíram que o criminoso entrou na residência do médium por uma trilha em uma mata que cerca o centro espírita e acessou uma das janelas da casa que não tem grade. O centro espírita fica instalado em uma área de, aproximadamente, 12 mil metros quadrados e é rodeado por mata densa.

O corpo de Arruda foi encontrado por sua mulher, que dormia em um outro quarto, com as mãos amarradas e marcas de espancamento. Segundo amigos e familiares, o médium tinha uma vida reservada e se dedicava integralmente ao trabalho no centro espírita, onde assumia uma das principais atividades, no comando das cirurgias espirituais pelo espírito de Frederick von Stein.

>> Médium do Lar de Frei Luiz é encontrado morto e amordaçado

>> RJ: Polícia faz nova perícia no Lar de Frei Luiz, onde médium foi encontrado morto

Tags: cirurgia espiritual, crime, espírita, frei luiz, médium

Compartilhe: