Jornal do Brasil

Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Rio

Paes deveria ter mais cuidado ao falar sobre suicídio

Conselho foi dado ao prefeito por médico psiquiatra  

Jornal do BrasilCaio Lima*

Por trabalhar em cargo público, o Prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), deveria tomar mais cuidado ao afirmar que, se o Brasil perder a final da Copa do Mundo do ano que vem para a seleção argentina, ele se mataria. O alerta foi feito pelo professor de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Antônio Egídio Nardi, especialista em psiquiatria.

Paes fez a afirmação em entrevista ao jornal britânico The Guardian e que teve grande repercussão no Brasil.  De acordo com Nardi, pessoas públicas devem ser mais cuidadosas ao falar sobre atos suicidas: “É um problema que afeta muita gente e as famílias que tiveram parentes que se suicidaram, ou tentaram, sabem o trauma que é e as dificuldades que passaram. Não existe ameaça que não deva ser levada a sério, e suicídio deve ser sempre levado a sério”.

Segundo o psiquiatra, independente da declaração do prefeito, “o suicídio atinge um número enorme de pessoas e há muito mais mortes por suicídio do que por acidentes”.

Nas contas de outro psiquiatra, José Manoel Bertolote, autor do livro “O Suicídio e sua Prevenção”, houve aumento dos casos de suicídio entre os jovens no Brasil. De acordo com o livro de Bertolote, entre adolescentes e jovens a taxa desse tipo de morte aumentou pelo menos 30% nos últimos 25 anos.

Na opinião do professor da UFRJ, Dr. Nardi, no entanto, não há provas de que uma afirmação como a de Eduardo Paes possa induzir pessoas com menor grau de discernimento, como crianças, ao suicídio: “Quem pensa no ato suicida provavelmente tem transtorno mental, e pode pensar em praticar ato pela própria doença”.

Dr. Nardi ressalta ainda que os picos com maior incidência de suicídio são entre os adolescentes, adultos jovens e terceira idade.

*Do Programa de Estágio do Jornal do Brasil

Tags: ato, bertolote, doença, nardi, prefeito, psiquiatra, suicidio

Compartilhe: