Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Rio

Corpos de militares mortos no incêndio na boate Kiss chegam ao Rio

Portal Terra

Os corpos de dois militares mortos no incêndio na boate Kiss na madrugada deste domingo em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, chegaram na noite desta segunda-feira ao Rio de Janeiro. Mais de 230 pessoas morreram na tragédia. Os restos mortais do tenente Leonardo Machado de Lacerda, 28 anos, e da capitã médica Daniele Dias de Mattos chegaram ao aeroporto do Galeão, de acordo com informações da rádio CBN.

O corpo do tenente vai ser velado na tarde desta terça-feira no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária da capital fluminense. Leonardo estava no primeiro regimento de carros de combate de Santa Maria há apenas 15 dias. 

Já o corpo de Daniele será levado para o Hospital Central do Exército, onde a cardiologista trabalhava. A capitã médica deve ser enterrada nesta quarta-feira, uma vez que seu pai estava fora do país. A militar estava de férias e visitava junto com o noivo, Herbert Magalhães Charão, que também morreu no incêndio, amigos que tinham na cidade, onde ela serviu de 2006 a 2011.

Incêndio na Boate Kiss

Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.

 

Tags: boate, mortos, RS, Santa María, Tragédia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.