Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

Rio

Água contaminada nas duchas da orla pode causar diarreias e até hepatite

Jornal do BrasilJorge Lourenço

Quem usa as duchas nas praias do Rio de Janeiro não imagina, mas pode estar sujeito a uma série de contaminações. Segundo infectologistas, a presença de bactérias, coliformes totais e coliformes termotolerantes na água dos "chuveirinhos" pode transmitir diarreias, hepatite e outras complicações. A água oferecida aos banhistas também apresentou a bactéria Escherichia coli, que pode causar infecções urinárias e doenças respiratórias. As duchas não tinham qualquer sinal de cloro, dando a entender que não recebiam qualquer tratamento antes de serem utilizadas.

"Tomar banho com água contaminada pode aumentar as chances de contaminações de gastro-interite, desde uma simples diarréia até uma desidratação, na qual o paciente teria que ser internado. É completamente imprudente oferecer duchas nestas condições para os banhistas. Acidentalmente, as pessoas até ingerem aquela água quando lavam o rosto, aumentando o risco de contágio", alerta o presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia, José Galvão Alves. 

Crianças e adultos se refrescam em chuveiros da orla, com água comprovadamente contaminada
Crianças e adultos se refrescam em chuveiros da orla, com água comprovadamente contaminada

Segundo o Jornal do Brasil apurou, a Cedae já havia alertado ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) sobre a contaminação das duchas na orla, mas não obteve resposta. Hoje, nenhum órgão público fiscaliza a condição da água nos chuveiros, cuja responsabilidade é atribuída ao Inea. O órgão, no entanto, nega essa atribuição. 

A origem da água também é duvidosa. Alguns barraqueiros apontam a existência de poços artesanais nas praias. Já o Comitê Orla Rio, que reúne órgãos da prefeitura responsáveis pela administração das praias, garante que a água é retirada diretamente de lençóis freáticos e aponta o governo estadual como responsável pela fiscalização. Enquanto ninguém assume a responsabilidade, os banhistas incautos continuam a usar a água imprópria para banho. 

Outras doenças

Para José Galvão Alves, a falta de aviso sobre as más condições das duchas pode ter feito com que várias infecções tenham passado despercebidas para os pacientes. 

"Quando alguém vai ao médico com uma diarréia ou com alguma infecção, jamais vai associar a doença com o chuveiro que usou na praia. Vai pensar que foi algo que comeu ou bebeu. Até porque algumas infecções podem demorar até 48 horas para apresentar os primeiros sintomas", aponta gastroenterologista. "Agora você não pode nem mais tomar banho nas praias sem se preocupar". 

Além de diarreias, leptospirose e hepatite, se banhar com água imprópria pode causar também problemas de pele, nos olhos e até pneumonias. 

A conjuntivite  bacteriana, por exemplo, provoca uma secreção amarelada e é muito contagiosa. Em geral, no verão, a sua principal causa é o contato com água contaminada de praias e piscinas”, explica o  oftalmologista Renato Fernandes, da Clínica Oftalmo Day Tijuca. 

Já o químico Sérgio Belleza, especialista em soluções para tratamento de água e efluentes vê riscos na bactéria Legionella Pneumophila. Ela pode chegar ao ser humano através de partículas de água contaminada em bebedouros, piscinas e, inclusive, chuveiros. 

"Uma análise de risco é fundamental em quaisquer instalações que possa gerar aerossol e contaminar pessoas", lembra Belleza.       

Tags: bactérias, coliformes, doenças, problemas, sérgio belleza, termotolerantes

Compartilhe: