Jornal do Brasil

Sábado, 21 de Outubro de 2017

Rio

'Meu medo é de que aconteça uma tragédia nas barcas', revela deputado

Jornal do BrasilIgor Mello

O deputado estadual Marcelo Simão (PSB-RJ), presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), esteve nesta terça-feira em uma vistoria no estaleiro da concessionária Barcas S/A, em Niterói, para uma vistoria nas condições de funcionamento do local. O deputado Gilberto Palmares (PT-RJ), que foi presidente da CPI das Barcas, também esteve acompanhando a comitiva.

De acordo com Simão, as condições das instalações não surpreenderam a comissão:

"Vimos o que já era esperado. É um estaleiro bem humilde, embora os equipamentos funcionem direitinho. Assim como as embarcações, que tem 50 anos de uso, os equipamentos também são muito antigos. O guindaste demora 30 minutos para realizar um serviço, enquanto um novo levaria no máximo 5 minutos, por exemplo", explicou.

A ação foi motivada pelo acidente com o catamarã Gávea I, que se chocou contra um piêr e terminou com mais de 50 pessoas feridas. Segundo Simão, isso não parece ter sido o bastante para fazer com que a Barcas S/A e as autoridades anunciassem um plano de reestruturação para o transporte, com novas embarcações e mais infra-estrutura. Ele teme por um incidente ainda pior, semelhante à tragédia em um bonde de Santa Teresa, ocorrida esse ano:

"O meu é de que aconteça a mesma coisa, uma tragédia de grandes proporções nas barcas. Antes do acidente com o bonde, eu já havia previsto que teríamos problemas e tinha até marcado uma audiência pública com a empresa. A mesma coisa aconteceu com a Barcas S/A no primeiro semestre, lembrou o deputado, acrescentando que "eles disseram que tinham um plano de contingência em caso de acidentes, mas o que vimos foi um grande despreparo. A sorte foi que o Corpo de Bombeiros fez um excelente trabalho. Mas a tendência é que algo só mude com uma tragédia", completou.

O governo do estado já encaminhou para a Alerj o reajuste da passagem, que deve ser votada antes do recesso parlamentar. Entretanto, a Comissão de Transportes quer impedir que a pauta vá a plenário antes da próxima terça-feira, quando haverá uma nova reunião com a concessionária. No encontro, será apresentado do relatório que embasa a solicitação de aumento:

"Precisamos que eles apresentem esse relatório para que possamos averiguar se realmente há necessidade desse aumento. Eu não quero atrapalhar a vida de ninguém, mas não podemos aprovar isso antes de saber do que se tratar", argumenta Simão.  

Tags: Bondes, Rio, Transportes, acidente, alerj, barcas, comissão, concessão, marcelo simão

Compartilhe: