Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

Rio

Ibama multa Chevron em R$ 50 milhões por vazamento na Bacia de Campos

Secretário estadual do ambiente classifica valor como defasado

Jornal do BrasilMaria Luisa de Melo

Depois de se reunir a portas fechadas com o presidente do Ibama, o secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc informou que a empresa americana Chevron foi multada no valor de R$ 50 milhões, conforme prevê a Lei Nacional de Crimes Ambientais, de 1999, pelo vazamento de óleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos, no Norte Fluminense.

Ainda de acordo com Minc, 50% deste valor será empregado na recomposição dos parques de Jurubatiba, Cista do Sul e Lagoa do Açu, afetados pelo vazamento de petróleo.

>> Delegado: óleo pode estar sendo dispersado pela Chevron para o fundo do mar 

>> Minc: Não vamos permitir que a Chevron lave as mãos no óleo derramado

Ao repetir que o valor de R$ 50 milhões estava defasado, o secretário informou que ingressará na Justiça pedindo indenização pelos prejuízos causados à biodiversidade marinha e aos bens costeiros. Uma multa no âmbito estadual também deve ser fixada. O valor, no entanto, ainda não foi divulgado.

Chevron se defende

Durante entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (21), o presidente da Chevron Brasil, George Buck, afirmou que a empresa vêm atuando de acordo com a legislação vigente no Brasil e com as normas fixadas pelo Ibama.

Secretário Carlos Minc afirma que multa de R$ 50 milhões está defasada
Secretário Carlos Minc afirma que multa de R$ 50 milhões está defasada

Autoridades não se entendem

Passadas quase duas semanas do início do vazamento de óleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos, os órgãos responsáveis por fiscalizar a operação das empresas que extraem petróleo da costa brasileira ainda não se entenderam sobre o volume de óleo que ameaça a biodiversidade brasileira.

Enquanto para o secretário estadual de ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, o vazamento foi de cerca de 25 mil barris de petróleo, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) alega que o derramamento tenha sido de no máximo 3 mil barris. 

A empresa Chevron, por sua vez, alega que o número de barris que escaparam pela fissura de 300 metros é de 2.400.

Tags: Petróleo, anp, bacia de campos, campo de frade, fissura, multa, vazamento, óleo

Compartilhe: