Jornal do Brasil

Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

País

Aécio defende diferença entre caixa dois de campanha e propina para enriquecer

Jornal do Brasil

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG) alega que existe uma diferença entre caixa dois de campanha e propina para enriquecer. "Um cara que ganhou dinheiro na Petrobras não pode ser considerado a mesma coisa que aquele que ganhou cem pratas para se eleger."

"Todo mundo vai ficar no mesmo bolo e abriremos espaço para um salvador da pátria? Não, é preciso salvar a política", alega o tucano, de acordo com a Folha

Aécio participava de um jantar em homenagem a um jornalista do O Globo, com a presença de ministros, ex-ministros e parlamentares. Ele ficou sentado em uma mesa com a presença, entre outros, do deputado Chico Alencar (Psol-RJ), que teria dito para Aécio: "Não dá para ter essa conversa franca com Sarney e Renan", no que Aécio teria respondido: "Vamos fazer um partido, eu e você? O partido do bem". "Vamos nos autoexterminar?", teria completado o tucano.

Chico Alencar divulgou uma nota destacando que suas falas durante o jantar foram "retiradas de contexto" pela imprensa. "Nesta confraternização, eu era um dos poucos deputados de oposição. Como é de costume meu, usei da brincadeira para descontrair clima às vezes desconfortável. As piadas foram retiradas de contexto, obviamente, para tentar confundir alhos com bugalhos. Imediatamente após as "brincadeiras" questionei abertamente Aécio sobre a aliança do PSDB com o PMDB", disse o deputado. 

"Todo mundo vai ficar no mesmo bolo e abriremos espaço para um salvador da pátria?"
"Todo mundo vai ficar no mesmo bolo e abriremos espaço para um salvador da pátria?"

"Para reiterar minha posição, de sempre, afirmo: acredito que a Lava Jato precisa investigar a fundo tudo e todos. Inclusive Aécio Neves e Michel Temer. Não acredito que nenhum desses políticos e seus partidos tradicionais sejam diferentes. Ao contrário, creio que todos representam a mesmíssima lógica do toma-lá-dá-cá", completou Chico Alencar.

Aécio já tinha divulgado um vídeo, com o mesmo discurso, depois que depoimentos do ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht e do ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedito Júnior, o BJ, ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), vieram a público na semana passada. Benedito Júnior diz que a empreiteira doou R$ 9 milhões em caixa dois para campanhas eleitorais do PSDB em 2014, ano em que Aécio concorreu ao Palácio do Planalto -- um pedido que teria sido feito pelo próprio Aécio, de acordo com BJ. O tucano também teria, inclusive, solicitado recursos para outros candidatos do PSDB. 

A fala de Aécio adota o mesmo discurso da nota de Fernando Henrique Cardoso que, em defesa do mineiro, disse que era importante fazer "distinções" entre quem recebeu caixa dois e quem recebeu "dinheiro para enriquecer", "dois atos, cuja natureza penal há de ser distinguida pelos tribunais". Para FHC, dinheiro para enriquecimento é "crime puro e simples de corrupção".

>> Promotoria investiga obra bilionária de Aécio Neves

>> TSE pede explicações a Aécio Neves sobre doação da Andrade Gutierrez

>> Delator da Odebrecht afirma que pagou R$ 9 mi em caixa 2 a Aécio Neves e aliados

>> Procuradoria vai abrir novo inquérito para investigar Aécio Neves, diz site

>> Aécio Neves depõe na Polícia Federal

Tags: Corrupção, PSDB, delação, investigações, lava jato, política

Compartilhe: