Jornal do Brasil

Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

País

Pré-sal: em clima de confronto, projeto será votado nesta quarta-feira

Petistas se mobilizam. Pimenta relembra WikiLeaks sobre suposta promessa de Serra a Chevron

Jornal do Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que colocará para votação na sessão desta quarta-feira (24) o projeto de lei que altera as regras de exploração do pré-sal. “Não há como não votar esse projeto. A Petrobras está inviabilizada. Esse projeto protege o interesse estratégico da Petrobras e ela, como consequência, vai fazer investimentos mais seletivos”, afirmou Renan.

“Você não pode obrigar a Petrobras a ter 30% [dos investimentos] sem que ela tenha dinheiro e com débito de R$ 500 bilhões. Isso vai atrasar o Brasil e a própria exploração do pré-sal”, complementou.

>> Senado retoma nesta quarta discussão sobre participação da Petrobras no pré-sal

Contudo, a aprovação do projeto, de autoria do senador tucano José Serra, está longe de ser uma unanimidade. O deputado federal Paulo Pimenta (PT) chamou a atenção, com publicação em sua conta nas redes sociais, para a denúncia do WikiLeaks, ainda em 2009, de que  Serra teria prometido mudar as regras do pré-sal à Chevron. 

A bancada do PT no Senado se reuniu na noite de segunda-feira (22) com o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, para se preparar para a votação, que estava marcada para esta terça-feira (23), e foi adiada para esta quarta. 

Documentos revelados pelo WikiLeaks indicaram que petroleiras americanas não queriam a mudança no marco de exploração de petróleo no pré-sal então aprovada pelo governo no Congresso, e que uma das empresas teria escutado do então pré-candidato à presidência, José Serra, a promessa de que a regra seria alterada caso ele vencesse a disputa.

Deputado publicou alerta sobre denúncia do WikiLeaks em relação ao pré-sal
Deputado publicou alerta sobre denúncia do WikiLeaks em relação ao pré-sal

"Deixa esses caras [do PT] fazerem o que eles quiserem. As rodadas de licitações não vão acontecer, e aí nós vamos mostrar a todos que o modelo antigo funcionava... E nós mudaremos de volta", teria dito Serra a Patricia Pradal, diretora de Desenvolvimento de Negócios e Relações com o Governo da petroleira norte-americana Chevron, segundo relato de telegrama diplomático dos EUA, de dezembro de 2009, obtido pelo site WikiLeaks.

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) também alertou nas redes sociais sobre o projeto a ser votado no Senado. "Não permita que entreguem o patrimônio nacional, que é do POVO, nas mãos de formas estrangeiras", diz publicação da página da deputada em rede social.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) também relembra, no Facebook, o episódio revelado pelo Wikileaks: "Em 2009, o Wikileaks vazou conversa de José Serra com executivos da Chevron na qual ele assumia o compromisso de mudar as regras do pré-sal para beneficiar a empresa e outras petroleiras estrangeiras. Muita gente não acreditou, a grande mídia abafou. Hoje vai à votação o PLS 131, do senador José Serra, que faz com que a Petrobras perca espaço na exploração do Pré-sal para empresas estrangeiras. Lobbystas das petroleiras estão todos no Senado. PSDB vai votar em peso pra vender o futuro do Brasil.

Tags: Eleições, PSDB, Petrobras, Petróleo, capital, estrangeiro, legislativo, mudanças, senado

Compartilhe: