Jornal do Brasil

Terça-feira, 26 de Julho de 2016

País

Em conversa privada, Renan desabafa e espera "efeito Orloff" contra PT

Senador disse a vice-presidente argentina que Brasil precisa de uma virada à la Macri

Jornal do BrasilEduardo Miranda

A visita da vice-presidente da Argentina, Gabriela Michetti, ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nesta terça-feira (23), tinha todos os contornos para ser protocolar e diplomática. Mas a audiência acabou servindo para Renan, sempre esquivo em seus posicionamentos políticos, expressar sua torcida pelo fim da era petista no Brasil.

“Estamos acompanhando com muito interesse para que aqui também aconteça o que está acontecendo na Argentina”, desabafou Renan Calheiros, surpreendendo aos senadores brasileiros habituados aos gestos de salvação do governo Dilma Rousseff.

A declaração do senador peemedebista, baseada no jargão publicitário da vodca Orloff (“eu sou você amanhã”) acabou também por animar a vice-presidente argentina, que se empolgou com o estímulo e respondeu ao desabafo, complementando o raciocínio:

“Na Argentina precisamos por fim ao populismo que provocou uma reação anestesiadora no país”.

>> PMDB ataca economia e defende 'Plano Temer'

Visita protocolar e diplomática de vice-presidente argentina se transformou em desabafo de Renan
Visita protocolar e diplomática de vice-presidente argentina se transformou em desabafo de Renan

A eleição do liberal e empresário Maurício Macri na Argentina por meio de uma coligação de centro-direita pôs fim a 12 anos de supremacia do Kirchnerismo no país. Muitos analistas enxergaram na eleição Argentina o mesmo processo que poderá ocorrer em relação ao petismo no Brasil.

Desabafos política à parte, o resultado concreto da visita diplomática foi a criação de uma comissão entre os dois parlamentos, com deputados e senadores dos dois países, para elaborar e discutir temas da relação bilateral. 

Tags: Argentina, CONGRESSO, dilma, eleição, gabriela michetti, Governo, macri, planalto, PMDB, PT, Renan Calheiros, senado

Compartilhe: