Jornal do Brasil

Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

País

Rompimento de barragem de rejeitos em Mariana deixa pelo menos 16 mortos

Jornal do Brasil

O rompimento de uma barragem de rejeitos em Mariana, na região Central de Minas Gerais, teria deixado 16 mortos e 45 desaparecidos. A informação é do presidente do Sindicato dos Metabase Inconfidentes, Valério Vieira dos Santos. No entanto, a Prefeitura do município e o Corpo de Bombeiros não confirmam o número de vítimas.

A Defesa Civil da cidade emitiu alerta pedindo que todos os moradores do distrito de Bento Rodrigues, onde fica a Mina Germano, da Barragem Fundão, deixem suas residências. A população foi orientada a seguir para o distrito de Camargos, que é mais alto e seguro.

Imagem do local onde barragem se rompeu em Minas Gerais
Imagem do local onde barragem se rompeu em Minas Gerais

A tragédia aconteceu por volta das 16h20 desta quinta-feira (5), na rua Perimetral do Ouro. Equipes do Corpo de Bombeiros, agentes da Guarda Municipal e Defesa Civil municipal estão no local neste momento para avaliação dos danos. 

Várias ambulâncias, dos bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foram enviadas à mina para socorrer as vítimas.

A Samarco, proprietária da mina, já confirmou o acidente. A empresa informou que está mobilizando todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a minimização de danos ao meio ambiente. "Não é possível, neste momento, confirmar causas e extensão do ocorrido, bem como a existência de vítimas", diz o comunicado. 

Segundo a prefeitura de Ouro Preto, a barragem se rompeu por volta das 16h20. A prefeitura  disse que a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do município encontra-se à disposição da cidade vizinha para auxiliar no atendimento aos possíveis feridos.

A nota informa ainda que a Defesa Civil de Ouro Preto também montou uma base de apoio, localizada no Centro de Convenções de Mariana, para auxiliar nas buscas.

Enxurrada de lama invade cidade mineira
Enxurrada de lama invade cidade mineira

Barragens como a que se rompeu em Minas são feitas para de reter os resíduos sólidos e água dos processos de mineração. O rejeito é material que deve ser armazenado para proteção do meio ambiente.

Em nota, o Ministério da Integração Nacional informou que o ministro Gilberto Occhi, e técnicos da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) viajam nesta sexta-feira para acompanhar as ações de socorro e assistência às vitimas do rompimento da barragem de rejeitos no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

A Casa Civil da Presidência da República informou que acompanhou a situação do distrito de Bento Rodrigues após o rompimento da barragem. "O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, entrou em contato com o governo de Minas Gerais e comunicou o acidente à presidenta Dilma Rousseff, que imediatamente conversou com o governador Fernando Pimentel e colocou o governo federal à disposição do estado de Minas Gerais para atuação no local. O ministro da Integração, Gilberto Occhi, irá para a região amanhã cedo", diz o comunicado. 

Tags: Tragédia, cidade, histórica, mina, rejeitos

Compartilhe: