Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

País

Queda dos juros faz avaliação do governo bater recorde

Investimentos e Notícias

A redução das taxas de juros fez a aprovação do governo Dilma Rousseff subir de 56% da população em março, mês do último levantamento, para 59% em junho, nível mais elevado desde o início do mandato. A informação é da pesquisa CNI-Ibope, divulgada nesta sexta-feira, 29.06, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Mantiveram-se estáveis, entre uma pesquisa e outra, a maneira de governar da presidente Dilma Rousseff, aprovada por 77% da população em março e em junho, e a confiança nela, estabilizada em 72% nos últimos três meses. O percentual de 77% de aprovação do modo de governar da atual administração é superior ao dos dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no meio do ano (72% no segundo mandato e 51% no primeiro) e de Fernando Henrique Cardoso (31% na primeira gestão e 54% na segunda).

Saldo positivo - A ação do governo para diminuir os juros levou a avaliação da política das taxas de juros, uma das nove áreas de atuação do governo pesquisadas, subir 16 pontos percentuais entre março e junho, passando de 33% para 49% da população. Paralelamente, a desaprovação às taxas de juros recuou de 55% para 41%. “Com isso, o saldo entre aprova e desaprova tornou-se positivo pela primeira vez no governo Dilma”, assinala a pesquisa CNI-Ibope.

Diz a pesquisa que “a melhora na avaliação da população brasileira com respeito ao governo Dilma aparenta estar ligada à área econômica”. Segundo o levantamento, registraram melhora nos últimos três meses nas nove áreas avaliadas, além dos juros, combate à inflação (de 42% para 46% de aprovação) e impostos (ainda que a desaprovação continue com percentual elevado, caiu de 65% para 61% e a aprovação aumentou de 28% para 31%).

O gerente da Unidade de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, que divulgou o levantamento, disse que o expressivo aumento das medidas econômicas do governo entre as notícias mais lembradas pela população comprova a influência da condução da economia na avaliação positiva do governo.

De 4% em março, as notícias sobre medidas econômicas foram lembradas por 12% da população em junho, perdendo somente para o noticiário sobre o contraventor Carlinhos Cachoeira, citado por 18%. “As ações do governo para atenuar a desaceleração da economia tiveram impacto na sociedade”, completou Fonseca.

Pioraram, contudo, as avaliações das políticas de saúde (66% da população desaprova, maior percentual de desaprovação, que pertencia aos impostos, contra 63% em março) e educação, na qual o índice de desaprovação subiu de 49% para 54%. As áreas do governo melhor avaliadas são o combate à fome e à pobreza, com 57% de aprovação, meio ambiente, com 55%, e combate ao desemprego, com 53% de aprovação.

A pesquisa CNI-Ibope foi realizada entre os dias 16 e 19 deste mês com 2002 pessoas em 141 municípios e tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Tags: comércio, compras. gastos, consumo, débito, dilma, economia, ibope crédito

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.