Jornal do Brasil

Sábado, 24 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

País

Demóstenes recorre de novo ao STF para protelar decisão do Conselho de Ética 

Jornal do BrasilLuiz Orlando Carneiro, Brasília  

A defesa do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) ajuizou um novo mandado de segurança, no Supremo Tribunal Federal, com pedido de liminar, desta vez para suspender o processo disciplinar em curso contra ele no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado Federal pelo menos por mais alguns dias.

Na manhã desta sexta-feira, a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha negou um primeiro pedido de liminar com propósito similar e os mesmos argumentos.  A diferença é que a advogada que assina a petição procura estender de hoje para segunda-feira a data relativa ao perecimento do direito que tenta assegurar ao parlamentar.

No mandado anterior, cuja liminar foi indeferida, a defesa levava em consideração a data desta sexta-feira, 15 de junho, como prazo dado pelo Conselho de Ética para a apresentação das alegações finais.

Mas, como está marcada para segunda-feira a sessão em que deverá ser apresentado e votado o relatório final pelo Conselho, a defesa tenta novamente suspender o curso do processo disciplinar e, consequentemente, impedir a realização da sessão.

A alegação é a de que não seria questão interna do Senado Federal o pedido de adiamento da sessão, já que o senador ameaçado de ter o mandato cassado estaria sofrendo cerceamento de defesa e constrangimento ilegal por parte do Conselho de Ética, em decorrência das interpretações distintas da defesa e do Conselho sobre os prazos de alegações finais e da apresentação e votação do relatório final, previstos no artigo 17, inciso 1, do Código de Ética do Senado.

O mandado foi distribuído, por prevenção, à ministra Cármen Lúcia.  Mas, como ela não se encontra em Brasília, foi redistribuído no fim da tarde para o ministro Dias Toffoli.

Tags: Demóstenes, STF, liminar, mandado, processo disciplinar, senado

Compartilhe: