Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

País

Jobim deixa a Defesa e Celso Amorim assume a pasta. "O copo encheu", diz líder do governo

Jornal do BrasilAna Paula Siqueira

A saída de Nelson Jobim do Ministério da Defesa foi confirmada na noite desta quinta-feira após uma reunião entre ele e a presidente Dilma Rousseff. Jobim é o terceiro ministro a deixar o governo. O Chanceler Celso Amorim passa a ocupar a pasta.

A saída de Jobim é avaliada por aliados ao governo como natural, diante do posicionamento que ele adotou, de desferir comentários considerados, no mínimo, constrangedores para o Planalto durante uma entrevista concedida à revista Piaui. Já a oposição critica a saída do ministro. O senador Alvaro Dias disse hoje ao JB que Jobim foi punido por "dizer o que pensa".

>> Saiba mais sobre Celso Amorim, que vai assumir o Ministério da Defesa

O líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), disse ao JB que Jobim vinha dando sinais de que queria deixar o governo e, agora, “o copo encheu”. O petista diz ainda que um dos motivos que gerou a divergência entre Jobim e Dilma foi a questão dos documentos sigilosos:

"Vinha nessa direção de descontentamento. Está colocado, ele divergiu do encaminhamento dos documentos sigilosos. Foi ali que se deu o contexto da divergência", disse Teixeira.

Para o líder do governo, a saída de Jobim não afeta a relação com o PMDB:

"Não. Isso não vai afetar o PMDB. A cota dele (Jobim) era mais pessoal da presidenta".

Teixeira nega que a presidente Dilma Rousseff tenha perdido o controle sobre aliados. E afirma que mudanças são naturais em qualquer governo.

Oposição

Já a oposição considera contraditória a saída de Jobim. O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), avalia que a entrevista concedida por Jobim à Piaui, ou mesmo a recente declaração de voto em José Serra para a Presidência, não justifica a demissão.

"Acho que a razão da saída é uma contradição para quem se diz democrata", dispara Alvaro Dias. "A manifestação de opinião deve ser sempre respeitada. Quem diz o que pensa não pode ser punido. Ele se afasta do governo exteriorizando sua opinião".

O senador se mostra preocupado com o fato de que a saída de Jobim possa mudar o foco da opinião pública, que vinha dando mais atenção a denúncias de irregularidades no governo.

"Isso não pode acontecer. Seria uma inversão de prioridades. A questão ética é fundamental. Não podemos ignorar o que está acontecendo. Os escândalos têm que ser investigados", avalia Alvaro Dias.

De acordo com o tucano, o incidente com Jobim "passa a ideia de um governo inseguro e nervoso politicamente".

Entrevista à 'Piaui'

Em entrevista a ser veiculada a partir desta sexta pela Piauí, o então ministro Nelson Jobim classificou a ministra Ideli Salvatti como "bem fraquinha". As declarações de Jobim, que na última semana havia informado que votara no tucano José Serra nas eleições presidenciais de 2010, incluem ainda ataques à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann que, segundo ele, não conhece Brasília.

Em entrevista à 'Piaui', Jobim criticou ministras Ideli Salvatti e Gleisi Hoffmann
Em entrevista à 'Piaui', Jobim criticou ministras Ideli Salvatti e Gleisi Hoffmann

>> Relembre a trajetória de Nelson Jobim no governo

Após a repercussão da entrevista, Jobim negou que tivesse dado as declarações:

"Em momento algum fiz referência a ela (Ideli) dessa natureza", disse Jobim.

O ministro, segundo a assessoria, afirmou que vinha auxiliando Ideli Salvati nas articulações no Senado para aprovar o projeto de lei em tramitação que trata do acesso a informações públicas. De acordo com a pasta, ele elogiou a ministra e também negou ter feito qualquer comentário depreciativo em relação a outros membros do governo. 

"Reconheço na Ideli capacidade e tenacidade importantíssimas na condução dos assuntos dentro do Congresso", disse.

Ideli utilizou seu blog pessoal para responder às declarações. 

"Para um ministro da Defesa são desnecessários determinados ataques. Não é assunto relacionado à pasta dele. Não fiquei chateada até porque eu tenho clareza das minhas qualidades, das minhas potencialidades e das minhas dificuldades. Me esforço muito para corresponder a honra que a presidenta me deu de estar neste momento respondendo pela secretaria das Relações Institucionais", escreveu.

Sarney

Mais cedo, em resposta ao ministro da Defesa, o presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP), ensaiou uma defesa da colega de governo, mas acabou chamando a coordenadora política do Executivo de "bem gordinha". "Eu acho até que esta (declaração) não combina com a ministra Ideli porque a Ideli é até bem gordinha", disse Sarney. A ministra responsável pelas articulações do Palácio do Planalto com o Congresso perdeu mais de 40 kg após uma cirurgia de redução de estômago há cerca de sete anos.

Tags: DEFESA, demissão, dilma, Jobim, Ministro

Compartilhe:

Comentários

13 comentários
  • Gabriel, Rio de Janeiro

    Isso é um absurdo não temos mais o direito de livre expressão. Só por isso um ministro é deposto (pode-se assim dizer) do seu cargo, isso não existe e só acontece em nosso país!

  • Walkiria, Campo Mourão - Pr

    Postar uma noticia aqui com avaliação da oposição e depois dizer que é a imprensa é livre e não tendenciosa, é brincar com a inteligencia dos leitores. Um senador que coloca a cavalaria nos professores não tem moral pra fazer análise de governo.

  • gilda starling assad, caraguatatuba

    kkkkkkkk Alvaro Dias? o rei do botox? Naõ sabe o que falar tadinho. Dilma, tá mostrando com ela não é o Lula, que era psx love, deixava passar tudo, com ela não. é mais embaixo, é isso ai dilminha troca, manda embora, não serve? ra re ri ro rua......

  • Basta, Rio

    Amorim? Devem estar de brincadeira. Imagina voce ser militar e ter como chefe um IDIOTA como esse?

  • GURUC, São Paulo

    Celso Amorim, sem favor nenhum, o pior ministro das relações exteriores da história do Brasil, agora terá a oportunidade de repetir a performance no Ministério da Defesa. Vão se cumprindo as profecias do jornalista 'Hugo Studart'. Acertou ao dizer que Jobim seria o primeiro a sair (os outros dois foram "varridos"), e de que Dilma terminará seu governo com uma turma de invertebrados. Amorim poderia começar, proibindo os militares de estudar Inglês, ou outro idioma da antipatia da Presidente.É só uma sugestão.

  • sergio, rio de janeiro

    O país lembra o caso do voo 447 da Air France, por falta de preparo, quando a tripulação quando se deu conta do que acontecia, já estava em pleno voo picado e explodiu no mar. Este governo está assim, sem um rumo certo, sem um norte definido, um arremedo, uma pantomima, fome , miséria, roubos, escândalos, dissimulações, falta de moral num nível nunca antes visto, ser ladrão , corrupto, corruptor,despudorado e outros adjetivos similares, não são mais motivo para que estas pessoas e seus familiares tenham qualquer tipo de constrangimento de sair às ruas, não há mais vergonha, são malfeitores e parecem fazer questão de mostrar isto. O que causa surpresa é o fato de tudo isto que agora vemos, ir contra aqueles discursos feitos durante a campanha da presidente.Não acredito que tudo isto acabe bem, em um determinado momento o povo irá para as ruas, e aí ninguém sabe o que acontecerá.

  • EDUARDO SOUTO JORGE, nova friburgo-rj

    Respondendo ao "Basta Rio"(e' triste ver uma pessoa se escondendo atras de pseudonimos), quero dizer que e' isso mesmo, a moeda tem varios lados, nao existe verdade absoluta. P'ra mim, por exemplo, vejo de outra forma. Vejo um bando de idiotas tendo que "aturar" uma pessoa brilhante como o Celso Amorim.

  • Cunha, Niterói

    Direito de expressão,Gabriel? Vai falar mal do seu chefe numa entrevista. Grande união de equipe....! Excelente escolha: Celso Amorim, nota 10!

  • Regina, Rio

    Deselegante, sem ética, covarde e desrespeitoso com as mulheres.
    Suas últimas falas noticiadas pela revista Piauí, mostram bem o seu caráter, cuspir no prato que comeu.
    Como alguém pode imaginar um tucano assumido fazer parte de governo de outro partido? Inacreditável a cara de pau deles.
    Isto vai render muito chororô.
    Melhor é ler sobre ele no wikileaks, o resto é propaganda enganosa.

  • PAULO DORNELLES, TERESINA

    LOGO APÓS O ESCANDALO DA CORRUPÇÃO PATROCINADA PELO PR NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTE, OCORRE MAIS UMA CRISE NO GOVERNO PETISTA... O MINISTRO JOBIM POR EXPOR ÁS VICERAS DESSE DESGOVERNO, FOI POSTO PRA FORA !!! AI PRA COMPLETAR, NOMEA ESSE DIPLOMATA FALSIFICADO PARA SER MINISTRO DA DEFESA, É QUERER FAZER BRINCADEIRA... MUITO CUIDADO É POUCO !! OS MILITARES SÃO DICIPLINADOS, MAIS NÃO SÃO SANTOS !!!

  • JAIME PASSOS, Brasília

    Quero, aqui, mesmo que em desacordo com outros comentários já postados, fazer uso da minha liberdade de expressão de pensamento. Gostei muito da indicação de Celso Amorim para o Ministério da Defesa, considerando o grande trabalho que ele fez em funções que ocupou no MRE. Para mim, ele será sempre lembrado como um dos melhores chanceleres que o Brasil já teve.
    Quanto ao Jobim, eu no lugar da presidenta Dilma nem o teria convidado para compor o meu governo.

  • JOSÉ CARLOS CLEMENTINO, Recife

    O artigo 5º da nossa cf dos direitos e garantias fundamentais. Da liberdade de expressão diz que é livre a manifestação do pensamento. Mas pelo visto o que escrevemos neste comentário não é respeitado a Bíblia diz parcialidade no julgar não é bom, então a meu ver, vocês não são sérios. Pois não publicarão meu comentário. Sem delongas.

  • Marcos, São Paulo

    Somente o presidente(a) da república tem legitimidade, concedida pelas urnas, para governar. Ministros são meros auxiliares, podem ser nomeados e demitidos ao bel prazer do supremo mandatário. O Meirelles, eleito deputado pela oposição, foi chamado pelo governo anterior para presidir o Banco Central. O próprio Jobim, que nunca demonstrou simpatia pelo PT, assumiu ministério no governo deste. Portanto, indepemdente de falar bem ou mal do governo, poderia ser transferido para outro ministério, outra função qualquer com sua concordância ou mesmo demitido, como de fato foi.
    Infelismente, o brasileiró0, geralmente inculto, é facilmente sujestionável. Sobre tudo faz-se demagogia. Os Estados Unidos estão em crise? Culpa do governo brasileiro. Tsunami no japão, culpa do governo brasileiro. Tem até um idiota que disse que a queda do avião da Air France no oceano foi culta do governo brasileiro (será que mandou caças derrubá-lo?). Emfim, só mais escolas! Mas, mais escolas? Não bastam as que estão aí imbecilizando nossas crianças? Ah Dilma, tú que é a culpada. Deves ser suceçora (é com 2 esses, burro) de Joana D'arc, já justiçada em sua época por semelhantes desmandos.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.