Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Abril de 2018 Fundado em 1891

País - Opinião

Mentiroso não pode se desmentir, pois ele mente sempre

Jornal do Brasil

Onde está o Don Corleone que ainda não foi preso?

O povo sabe quem é o chefe dessa gangue, o verdadeiro Don Corleone. O cinismo desta famiglia é que um filho é que se diz o grande operador. 

Agora, acaba de fazer um estrago. E o estrago poderia atingir o atual governo. Mas bobo e ingênuo é quem pensa que o povo acredita em mentiroso. 

Esses bandidos falam de acordo com as conveniências dos bolsos de seus chefes. Por conseguinte, deles também. 

Não podemos mais esperar que esse tipo de bandido continue a frequentar as páginas de jornais destruindo o Brasil sem que estejam de pijama listrado, pois só aparecem com trajes de etiqueta.

Se calcularmos os valores do paletó, calça, sapato, cinto e gravata, chegamos a mais de US$ 10 mil, porque estão usados. Novos, a soma seria US$ 50 mil. Com este cálculo se percebe que a condenação ou a multa é pouco. Até no patrimônio eles ostentam que a riqueza deles não acabou, e nem vai acabar. O exemplo disso é esse doleiro envolvido em dois grandes escândalos. O primeiro, não apurado: o Banestado, com evasão do país de mais de US$ 3 bilhões. O Coaf, e sua sede da época, sabem. O ministro da Justiça da época também sabe. E nunca ninguém fez nada. 

Só que crime, quando o prejudicado é o país e o povo, não deveria ter prescrição. Se a Justiça diz que tem, temos que mudar o artigo que faculta este privilégio.

Mas falávamos de Alberto Youssef. Ele vai para casa, morar nos Jardins. Jardins esses que o metro quadrado do apartamento não custa menos de R$ 20 mil.

E o povo pergunta: esse ladrão tem dinheiro cash para pagar a gasolina de seu Mercedes-Benz que ostentou na TV? Ainda pode ter Mercedes? Ainda pode morar nos Jardins? Ainda pode pagar seus empregados? Ainda pode pagar tudo de luxo que usa?

Onde está a Justiça?

Só por ter feito uma simples delação, este delinquente que ajudou a destruir o país merece todo este tipo de privilégio?

Peçam aos 19% de desempregados do país - desempregados por responsabilidade desse senhor - que o julguem, e vejam qual a pena que será dada.

Imaginem, senhores, o que essas reflexões podem levar ao povo que sofre. É de enlouquecer. O povo, ao ser roubado e perder seu emprego, morre de fome, de doença, à míngua. Os que não querem morrer de fome, de doença, à míngua assistem este momento se aproximar, se continuarmos a dar estes privilégios. Esse povo que sofre não pode esperar a morte como sempre esperou. 

Sequestro de bens, já! Tanto de corruptos como de corruptores que tiraram do povo o único patrimônio que tinham: o trabalho.

Para esses delinquentes, nem o jardim das saudades.

E nós esperamos ver Don Corleone também de pijama listrado.



Tags: SEQUESTRO, bens, brasil, corruptores, corruptos, crimes, delação, emprego

Compartilhe: