Jornal do Brasil

Domingo, 19 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Etiópia e Eritreia restabelecem voos de passageiros

Jornal do Brasil

Pela primeira vez em 20 anos, um voo conectou as capitais da Etiópia e da Eritreia, países do Chifre da África que estavam em guerra desde 1998, mas que agora decidiram iniciar um percurso de paz.    Um avião civil da Ethiopian Airlines proveniente de Adis Abeba aterrissou nesta quarta-feira (18) em Asmara, levando sobretudo famílias separadas pelo conflito. "Este dia marca um evento único na história da Etiópia e da Eritreia", afirmou o CEO da companhia aérea, Tewolde GebreMariam.    

Dada a grande demanda, a Ethiopian fez partir dois voos com apenas 15 minutos de distância um do outro. Antes da guerra, Etiópia e Eritreia expulsaram dezenas de milhares de pessoas de seus territórios, criando uma separação de famílias.    

Paz 

O tratado que encerrou o conflito entre Adis Abeba e Asmara foi assinado em 9 de julho, na capital da Eritreia. Os dois países estavam em guerra desde 1998, pela posse da região de Badme. Em dezembro de 2000, após a morte de 70 mil a 100 mil pessoas no conflito, o presidente eritreu, Isaias Afewerki e o então primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, firmaram um acordo de paz na Argélia que nunca foi respeitado.    

Em 2002, uma comissão apoiada pela ONU determinou que Badme ficasse com a Eritreia, mas a Etiópia não reconhecia a decisão e mantinha tropas na região. A situação mudou no início de junho, quando o reformista Abiy Ahmed, que assumira o cargo de primeiro-ministro da Etiópia dois meses antes, aceitou integralmente os termos do acordo e se comprometeu a tirar suas tropas de Badme. Ahmed vem dando indícios de que pretende estabilizar seu país, afetado por graves dificuldades econômicas, por uma pesada dívida externa e pela escassez de investimentos estrangeiros.    

Outro sinal disso é a recente revogação do estado de emergência que estava em vigor desde fevereiro, por causa dos protestos que derrubaram o ex-premier Hailemariam Desalegn.



Tags: conflito, eritreia, etiópia, guerra, protesto

Compartilhe: