Jornal do Brasil

Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Índices de violência despencam em estados dos EUA onde a maconha é legalizada

Jornal do Brasil

A legalização da maconha para uso medicinal resultou em queda significativa nos casos de crimes violentos nos estados dos EUA que compartilham fronteira com o México, de acordo com nova pesquisa.

O novo estudo, intitulado "Maconha legalizada incapacita as organizações mexicanas de tráfico de drogas?" mostra que os estados da fronteira mexicana que legalizaram o uso de maconha para fins medicinais têm visto casos de crimes violentos caírem em média 13%, de acordo com The Guardian.

As novas leis de alguns governos estaduais dos EUA "permitem que os agricultores locais cultivam e vendam maconha legalmente", observou a economista Evelina Gavrilova, co-autora do estudo.

Estados americanos nos quais a maconha foi legalizada registraram queda na violência

"Esses produtores estão em concorrência direta com os cartéis de drogas mexicanos que contrabandeiam maconha aos EUA", afirmou Gavrilina. "Como resultado, os cartéis perderam negócios".

À medida que os criminosos perdem dinheiro, a região viu uma queda na violência relacionada a drogas e gangues.

Os cartéis de drogas mexicanos, notoriamente violentos, "competem por território, mas também é fácil roubar o produto dos outros cartéis e vendê-los eles mesmos, então lutam também pelo produto", observou a economista. "Sempre que há uma lei de legalização da maconha medicinal, observamos que o crime na fronteira diminui porque de repente há muito menos contrabando e muito menos violência associada a isso".

Gavrilova, que, juntamente com os colegas pesquisadores Takuma Kamada e Floris Zoutman, estudaram estatísticas de crimes e registros de homicídio computadas pelo FBI de 1994 a 2012, descobriu que uma mudança nas leis de drogas dos EUA criou o resultado positivo mais notável na Califórnia, o que mostrou uma queda de 15% nos índices de violência.

"Quando o efeito sobre o crime é tão significativo, obviamente é melhor regulamentar a maconha e permitir que as pessoas paguem impostos sobre isso, em vez de torná-la ilegal", afirmou Gavrilova. "É incontestável que [a droga] deve ser legal e deve ser regulamentada, com os resultados indo para o Tesouro", acrescentou.

Mais de 20 estados dos EUA legalizaram a maconha para usos medicinais, enquanto sete deram um passo à frente e permitiram o uso para fins puramente recreativos, desafiando a lei federal existente que classifica a maconha como equivalente à heroína, metanfetaminas e cocaína.

>> Sputnik

Sputnik


Tags: califórnia, cocaína, departamento de tesouro dos eua, estados unidos, evelina gavrilova, fbi, floris zoutman, maconha, metanfetamina, takuma kamada, the guardian

Compartilhe: