Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Rede CNBC aponta ligações entre príncipe saudita e genro de Trump

Herdeiro da coroa vem conduzindo uma série de prisões em suposta guerra contra corrupção

Jornal do Brasil

A rede norte-americana CNBC publicou uma análise profunda sobre as ligações entre o príncipe herdeiro da coroa da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman e a família do presidente dos EUA, Donald Trump. O Jornal do Brasil já havia antecipado, no domingo (5), as relações e suas consequências.

>> Veja aqui: Crise na Arábia Saudita

O saudita – que vem conduzindo uma série de prisões de ministros, empresários e príncipes em uma suposta guerra contra a corrupção endêmica no país – teria fortes ligações com o republicano: na semana passada, o genro de Trump, Jared Kushner, visitou secretamente o país do Oriente Médio, dias antes do começo das prisões. Kushner é conselheiro da Casa Branca.

O movimento de bin Salman é visto por muitos como uma forma do príncipe herdeiro consolidar o poder recém adquirido.

De acordo com o veículo, bin Salman lidera programas voltados à diversificação da economia do país além da produção de petróleo, com o objetivo de industrializar o reino. Atualmente, a Arábia Saudita é considerada um país rentista, ou seja, um estado cuja receita depende substancialmente da negociação de recursos nativos para clientes externos, no caso, o petróleo.

Mohammed bin Salman teria fortes ligações com família Trump
Mohammed bin Salman teria fortes ligações com família Trump

Segundo Hasnain Malik, chefe de pesquisa no banco de investimentos Exotix Capital, entrevistado pela CNBC, “este é o mais recente ato de concentração de poder na Arábia Saudita. Apesar de parecer sem precedentes e controversa, esta centralização pode também ser uma condição necessária para empurrar a agenda de austeridade e transformação que bin Balman supervisiona”.

O jornal ressaltou que as ligações entre Trump e bin Balman ficam claras quando, “além de ter provavelmente orquestrado a última viagem de Trump à Arábia Saudita, bin Salman alegadamente desenvolveu uma relação com o conselheiro Kushner.” Sugerindo um apoio de Trump ao príncipe saudita.

Para a CNBC, tudo isso se conectaria com a estatal de petróleo saudita Saudi Aramco. “Os EUA têm muitas razões para seu interesse na Arábia Saudita e o papel central do país na geopolítica do Oriente Médio, mas o presidente tem se concentrado nos últimos dias em algo mais específico: uma vitória para Wall Street.”

Trump teria o desejo de ver a Saudi Aramco listar suas ações na bolsa de valores dos EUA. Se espera que essa Oferta Pública Inicial (IPO na sigla em inglês – o momento em que uma empresa abre seu capital e passa a ser listada na Bolsa de Valores) seja a maior da história, com mercados do mundo inteiro querendo essas ações.

Trump disse no final de semana, em uma publicação no Twitter, que ele espera que a IPO vá para a Bolsa de Nova York. De acordo com ele, o rei saudita contou que eles “considerariam a utilização a bolsa dos EUA”.

Tags: armas, crise, eua, geopolítica, oriente média, petróleo, política, trump

Compartilhe: