Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Julho de 2017

Internacional

Conselho da Itália adia decisão de extraditar Pizzolato

Conselho italiano pediu mais documentos para analisar o caso e adiou decisão para 22 de setembro 

Jornal do Brasil

O Conselho de Estado da Itália, última instância da justiça administrativa do país europeu, suspendeu nesta quarta-feira (24), a extradição do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado no processo do mensalão do PT a 12 anos e 7 meses de prisão. A decisão foi adiada para o dia 22 de setembro. O Conselho de Estado da Itália pediu mais documentos à Justiça italiana para analisar o caso. Pizzolato continuará preso na Itália.

Em 2012, ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. No ano seguinte, antes de ser expedido o mandado de prisão, ele fugiu para a Itália. Pizzolato tem cidadania brasileira e italiana.

No último dia 12 de junho, a Justiça da Itália suspendeu o envio do ex-dirigente do banco público ao Brasil, após acolher recurso da defesa que questiona as condições do presídio onde o executivo condenando no julgamento do mensalão do PT ficará se for extraditado.

O principal argumento da defesa de Pizzolato é que a ala do presídio da Papuda, em Brasília, na qual as autoridades brasileiras dizem que ele ficará preso, é "vulnerável". Nos julgamentos na Itália sobre a extradição, o Brasil argumentava que essa ala da Papuda tem condições de preservar os direitos do preso.

A solicitação do Brasil foi negada na primeira instância pela Corte de Apelação de Bolonha, mas a Procuradoria-Geral da República recorreu e a Corte de Cassação de Roma decidiu, em fevereiro deste ano, para conceder a extradição. Em 24 de abril, o governo da Itália autorizou que ele fosse enviado ao Brasil para cumprir a pena do mensalão.

O tempo de pena que o ex-diretor cumpriu na Itália – quase 11 meses – será descontado da pena total de 12 anos e 7 meses.

Tags: Conselho, Mensalão, extradição, itália, pena, pizzolato

Compartilhe: