Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Abril de 2018 Fundado em 1891

Heloisa Tolipan

www.heloisatolipan.com.br

Fábio Bibancos apresenta aplicativo Ismyli, que ajudará sua Turma do Bem a ser autossustentável

Os voluntários se mobilizarão em torno de negócios que gerem recursos para manter a organização

“O sorriso é a expressão mais gostosa que o ser humano tem”. Foi com essa frase – dita por ele – que apresentamos, pela primeira vez aqui, o dentista Fábio Bibancos, há quase dois anos. E ela, por si só, já explica toda a motivação de seu trabalho, tanto no Instituto Bibancos de Odontologia, como na ONG Turma do Bem, da qual é presidente voluntário. Se, naquela época, a ONG já havia ajudado cerca de 65 mil jovens e reunia mais de 16 mil dentistas voluntários, atualmente os números são ainda mais impressionantes: são quase 70 mil jovens e mil mulheres vítimas de violência que voltam a sorrir com confiança graças aos 17 mil e 100 voluntários dentistas da rede, espalhados pelo Brasil e 14 países. De fato, esse voluntariado tem muita força, mas o que os conecta é o propósito: isso é o que torna a rede poderosa.

Fabio Bibancos e seus parceiros apresentam o Ismyli

Ao longo desses 15 anos de trabalho, o sistema filantrópico de patrocínio foi muito importante para que a Turma do Bem pudesse continuar ajudando tanta gente, mas, diante da crise, a Turma do Bem se viu obrigada a se reinventar. Por isso, Fábio contou com a ajuda de desenvolvedores e consultores poderosos, como Marcelo Alonso, empreendedor digital que já esteve à frente de empresas como Natura, Credicard e Vivo, os jovens Denis Benévolo e Greg Marinho, responsáveis pela criação de aplicativos, entre tantos outros amigos. Juntos, eles desenvolveram o Ismyli, um aplicativo que funciona como uma startup exclusiva para os dentistas do bem e que foi lançado semana passada, em Poços de Caldas (MG), durante o Sorriso do Bem, evento anual que conta com debates e uma festa black tie do Oscar da Odontologia. O processo inédito foi desenhado para os voluntários e prepara e valoriza o profissional que já contribui com a sociedade.

O negócio inovador conta com com uma plataforma de vídeos muito moderna, treinamentos, eventos, lançamentos de produtos e muito mais. Além disso, um canal de televisão para os dentistas manterá todos os voluntários informados com o propósito da Turma do Bem. Bibancos apresentará ainda os resultados alcançados pela equipe. Ofertas exclusivas para produtos de consultório, oferecidos por parceiros comerciais, também estarão disponíveis no aplicativo: comprando por lá, o dentista ganha descontos e gera recursos para a ONG.

O negócio inovador baseado em um aplicativo, que promete tornar a Turma do Bem cada vez mais forte, foi apresentado durante o evento Sorriso do Bem, que, a cada edição, premia dentistas que mais contribuíram para a inclusão social através da saúde bucal. O evento, considerado o maior de odontologia e voluntariado do mundo, foi realizado em Poços de Caldas (MG) entre os dias 14 e 17 de novembro, e contou com a participação de cerca de 1.000 pessoas, entre dentistas, palestrantes e personalidades. “Estamos fazendo história com o lançamento desse aplicativo, porque estamos conectando uma empresa, que é a Ismyli, com um negócio, que é a Turma do Bem. E fazendo com que a Turma do Bem invista seu impacto social numa empresa e ela retribua isso com dividendos em dinheiro para que a ONG continue existindo. A relação entre a empresa e a organização social tornou-se muito diferente com o aplicativo”, explicou Marcelo, que, atualmente, é voluntário da Turma do Bem e empreendedor de Ismyli. “Eu trabalhei em grandes empresas sempre ligado a comunicação, sustentabilidade e relacionamentos. Eu dirigi o Credicard, fui presidente do Instituto Vivo e sempre tentei conectar esse lado do negócio com o aspecto social. Só que não queria mais e me propus passar para o outro lado, pegar uma atividade social e integrá-la ao universo de negócios, porque temos visto recursos cada vez mais escassos para filantropia”, disse ele.

Marcelo Alonso

Fábio explicou: “O sistema filantrópico de patrocínio não existe mais. Tem projetos menores que também não conseguem. Nós tínhamos que sair desse lugar, mas eu não sabia como, então vi a saída nos aplicativos. Participei da formação de uma pequena startup, que, com seu poder de gestão, vai se sustentar”, disse ele. “O caminho do setor é se transformar em empresa social. As ONGs não conseguem mais sobreviver totalmente com patrocínios de empresas privadas. Hoje existem as empresas sociais, que são empresas que dão lucro e desse lucro geram a causa social, fazem o impacto social. As organizações já nascem como empresa social. Nós estamos no caminho inverso: primeiro tivemos todo esse impacto e, agora, temos que pagar a conta”, contou ele, que nunca contou com ajuda governamental. “Hoje 40 milhões de pessoas no país não vão ao dentista por problemas financeiros. Até quanto eu aguento ser empreendedor social? Até onde a realidade não é mais contundente do que o sonho?”, questionou.

“No último ano, confesso que me senti absolutamente encurralado, devido à crise econômica, política, diminuição de verba de patrocinadores. Dá um certo medo, vivemos em uma crise sem precedentes. Muita gente acaba parando de investir para ver como o país vai ficar e nós corremos o risco de caminhar para estagnação. E aí? O que fazer com o monte de gente que fazia parte da rede de beneficiários? Estamos aqui tentando ajudar as pessoas e as empresas encurralam para vender. Então ficou muito difícil administrar esses conflitos”, desabafou Fábio, que se vê responsável pelos seus tantos voluntários. “Eles esperam de mim uma procissão segura e forte para resolver tudo. Então precisamos de novos caminhos. Sei que o caminho do futuro é a gente continuar junto. Refleti e vi que a nossa força são os dentistas consumindo, comprando produtos. A firmeza de manter isso constantemente. Sonhar o sonho do empreendedor e realizando sonhos”, disse. Por isso, a rede caminha para a autossustentabilidade. “No aplicativo, feito só para os dentistas do bem, temos market place, área de ensino, área de certificação. Se o dentista comprar qualquer aparelho no market place parte da renda vem para a ONG, se estudar com os professores do aplicativo, parte da renda também vem para a ONG”.

Os dentistas que estiveram no encontro em Poços de Caldas

Marcelo contou que o pedido de Fábio foi um grande desafio em sua carreira. “Aqui, temos a maior rede de voluntários especializados do mundo. A ideia é transformar em uma organização sustentável. O que significa isso? Que ela mesma, seus ativos, a rede de dentistas, beneficiários e parceiros que se mobilizem em torno de negócios que gerem recursos pra manter a organização não só funcionando, mas se autossustentando. Além de permitir o crescimento. Felizmente chegamos ao lançamento de Ismyli e, assim, a ONG vai crescer”, analisou.

Tudo o que acontece na Turma do Bem também ficará registrado por lá, inclusive eventos organizados pelos voluntários. Além disso, em um fórum, eles poderão discutir ideias para tornar a ONG cada vez mais forte. E os recursos gerados são o valor que eles precisam para continuar. “Vocês vêm fazendo história há 15 anos e hoje estão tendo o privilégio de fazer história com essa nova forma de sustentabilidade. O que estamos propondo para rede de Dentistas do Bem é um presente, é a possibilidade de pensar e ajudar para que todas as organizações possam ser mais autossustentáveis. Se vocês cuidam com essa dedicação dos jovens e mulheres, a nossa preocupação é cuidar de vocês, da rede. Por isso, o aplicativo oferece benefícios verdadeiros. A gente se preocupa não só com resultados, mas em gerar impacto positivo social e ambiental também. Não é ser o melhor dentista do mundo, mas ser o melhor dentista para o mundo”, disse Marcelo.

Por isso, dentro do Ismyli, há um processo de certificação para avaliar cada dentista de forma econômica, social e ambiental. A consciência dessa importância está atrelada a um programa para valorizar todos os profissionais da rede. “A ideia é estimulá-los a serem profissionais melhores em suas relações com o negócio, com a sociedade e com o ambiente”, explicou Fábio.

Denis Benévolo, um dos responsáveis pela criação do aplicativo, também falou sobre a ideia. “Primeiro, para entendermos o impacto e a relevância desse projeto, precisamos conhecer o cenário da filantropia no país. Como o Fábio e o Marcelo disseram, o cenário econômico não está favorável e o principal ponto de corte é investimento filantrópico vindo de empresas. Por isso, as ONGs e instituições como a Turma do Bem precisam se reinventar para achar novas fontes de receitas”, disse. “A visão fora da caixa do Fábio Bibancos, de conseguir entender que, se ficar estagnado, um projeto que construiu há 15 anos ficaria ultrapassado, parado no tempo, foi de extrema importância”, completou Greg, que foi além: “Ele, muito inteligente, foi atrás de tecnologia para chegar em um modelo de gerar recursos e tornar sua ONG sustentável. O app faz isso com suas funcionalidades para interação, comunicação dos dentistas, aprendizado, compras. Algumas envolvem recursos, como as compras mensais do consultório, que poderão ser feitas via Ismyli, por exemplo. Hoje, além de aumentar comunicação, o aplicativo trouxe independência para a ONG e é essa independência que faz as marcas virem atrás da Turma do Bem, não o contrário”, explicou.

Daniel Benevolo e Greg Marinho

E, afinal, o que significa Ismyli? “É uma brincadeira com a palavra ‘sorriso’ e “é meu”, em inglês, contou Denis. Marcelo Alonso comemorou: “É muito gostoso fazer isso. Eu estou me sentindo jovem, desenvolvendo uma startup. E é um grupo mais experiente por trás disso, só que tem os meninos também. É um grupo diverso, interessante, com garra para fazer algo inédito”.

O manifesto do aplicativo fala por si só: “A expressão no rosto da sua mãe ainda molhado de lágrimas tinha um significado: eu te amo, vou cuidar de você. Pouco tempo depois lá estava você aprendendo a retribuir esse cuidado com seu sorriso, e você percebeu que quem te via sorrindo sorria de volta pra você. Sorriso contagioso. Sorriso sempre foi a marca presente nas suas conquistas, o primeiro elogio dos pais, o sonho, um olhar amoroso correspondido, seu nome na lista de aprovados no vestibular. Estava lá, estampado na sua cara o agradecimento ao favor prestado, ajuda recebida, um Natal em família, no altar, uma história de vida, uma mão estendida. Talvez você não perceba que sorrir é seu jeito de levar a vida, sua crença e seu compromisso, sua coragem exposta, um presente lindo para a sociedade. Quis o destino que o sorriso fosse também seu ofício. Mas você é do bem, não trata o sorriso apenas como um trabalho, faz dele uma causa. Os indivíduos, a sociedade e o planeta precisam de melhores dentistas para o mundo. Cada atitude que você tomar será uma influência positiva para a comunidade. Cada sorriso que você cuidar será um presente para a sociedade e cada vez que você compartilhar isso será melhor para sua vida. Ismyli será sua parceira nessa incrível jornada”. Precisa falar mais?



Tags: aplicativo, autossustentável, beneficiários, causa, denis benévolo, dentistas, fábio bibancos, gerar, greg marinho, história, ismyli, karina kuperman, lucro, marcelo alonso, parceiros, rede, sociedade, sorriso, turma do bem, voluntariado, voluntários

Compartilhe: