Jornal do Brasil

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Heloisa Tolipan

www.heloisatolipan.com.br

Bombando! “O roubo da taça” é destaque entre estreias do cinema nacional

Filme de Caíto Ortiz narra com boa dose de humor episódio polêmico. Nós contamos!

Chega de mistério e história mal contada. O filme “O Roubo da Taça” volta a 1983 para recontar o caso do sumiço do troféu Jules Rimet, que foi conquistado pela seleção brasileira de futebol em 1970 após ganhar a terceira Copa do Mundo consecutiva. Oficialmente, a investigação concluiu que a taça foi derretida e os responsáveis pelo roubo foram presos. Porém, até hoje, o caso carrega dúvidas e falta de esclarecimentos. Curioso com as histórias que cercam o roubo da Jules Rimet, o diretor Caíto Ortiz se apropriou da arte para contar o caso nos cinemas. Na pré-estreia do filme “O Roubo da Taça”, que chega às telonas do Brasil na próxima quinta-feira, 8, Caíto Ortiz disse a coluna HT que a idéia do longa surgiu de uma reportagem sobre o caso. “É uma história incrível, porque ninguém sabe dela direito. Eu cheguei à ideia do filme quando li uma matéria sobre os fatos curiosos e inusitados que envolvem o roubo. A partir daí, eu comecei a trabalhar o roteiro e tomei algumas liberdades criativas em cima do que realmente aconteceu. Mas os grandes pontos e as loucuras que aparecem no filme são verdade”, esclareceu sobre o projeto que demorou cinco anos para ser concluído.

Estrela do longa, Taís Araújo interpreta Dolores, a mulher de Peralta (Paulo Tiefenthaler)  que, para pagar as dívidas, decide roubar a taça. Para a atriz, a arte proporciona essa liberdade criativa na qual Caíto se apropriou para criar uma nova história em cima de um caso já existente. “A gente tem a possibilidade de poder brincar e imaginar o que pode ter acontecido. Eu acho que a grande sacada do filme é a chance de criar um final no meio dessa comédia de erros que parece um roteiro pronto. A arte proporciona essa liberdade de recriar uma história. E é lindo e muito criativo a gente poder fazer uma crítica a nós mesmos. Eu acho que nós iremos nos reconhecer, rir e termos vergonha de nós brasileiros. O filme é uma crítica ao comportamento da nossa sociedade”, disse Taís que estava super animada com o novo trabalho. “Eu quis muito e batalhei para fazer esse filme. Eu engravidei na época que o longa era para ser gravado, implorei para que a equipe me esperasse e hoje eu estou podendo assistir ao resultado dessa jornada”, compartilhou.

"O roubo da taça": longa de Caíto Ortiz está em cartaz nos cinemas de todo o país
"O roubo da taça": longa de Caíto Ortiz está em cartaz nos cinemas de todo o país

Assim como Taís Araújo, o ator Milhem Cortaz estava se sentindo honrado em poder recontar um caso que faz parte da história brasileira. Na trama, Milhem interpreta Cortez, o delegado responsável por investigar o roubo da taça. “Essa é uma história peculiar porque tem momentos patéticos e um grande pretexto para se contar uma boa história. Eu acho que na mão do Caíto, que é um cara inteligentíssimo e que tem um humor refinado, o caso se transformou em um grande filme. Eu estou muito feliz de participar dele”, declarou.

Quem também marca presença no elenco de “O Roubo da Taça” é o músico Mr. Catra. Com sua voz inconfundível, o funkeiro disse a HT que adorou fazer o “intrusão da parada”. “Foi legal e maneiro. Eu curti fazer parte desse elenco louco. Fora que foi show contar essa história porque foi um lance que aconteceu mesmo e abalou a estrutura da nossa sociedade. E falar disso com humor é muito legal”, avaliou Mr. Catra.

colunaheloisatolipan@gmail.com

Tags: Brasileiro, caíto ortiz, cinema, comédia, estreia, filme, heloisa tolipan, nacional, o roubo da taça, taís araújo

Compartilhe: