Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Esportes

Com Dorival pressionado, São Paulo reencontra rival que derrubou Ceni

Portal Terra

Com o técnico Dorival Júnior pressionado, o São Paulo enfrentará o Flamengo neste domingo, às 17 horas (de Brasília), no Pacaembu, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. No primeiro turno, o resultado do confronto determinou a demissão de Rogério Ceni, que deixou o clube em 3 de julho, dia seguinte à derrota por 2 a 0, na Ilha do Urubu.

Desde então, o cenário não mudou muito para ambas as equipes. O São Paulo continua rondando a zona de rebaixamento, enquanto o Flamengo briga pelas posições de cima na tabela.

Naquele embate, válido pela 11ª rodada, o Tricolor ocupava o 16º lugar, com 11 pontos, seis a menos que o Rubro-Negro, então terceiro colocado. Hoje, o São Paulo (34) figura na 15ª posição e o Flamengo (46) na sexta.

Curiosamente, para os paulistas, as implicações de uma nova derrota para os cariocas poderão ser as mesmas do confronto do primeiro turno, quando acabaram entrando pela primeira vez no grupo de descenso.

Neste momento, o São Paulo tem apenas dois pontos a mais que a Ponte Preta (32), primeira equipe dentro da zona da degola, e a um de vantagem sobre o 16º colocado Vitória (33). No domingo, o Rubro-Negro baiano fará o clássico com o Bahia, na Arena Fonte Nova, ao passo que o clube de Campinas receberá o Avaí, no Moisés Lucarelli.

Se perder para o Flamengo e esses dois rivais diretos vencerem na rodada, o Tricolor voltará a viver o desespero de estar na parte mais baixa da tabela de classificação. E serão apenas mais oito rodadas para tentar reverter o quadro, com quatro jogos fora e outros quatro em casa.

Assim como foi com Ceni, Dorival chega para o duelo com o Flamengo bastante pressionado. Com mais de três meses de trabalho, o treinador ainda não conseguiu fazer o time engrenar uma série de duas vitórias consecutivas e o São Paulo continua ameaçado de sofrer o que seria o maior vexame de sua história.

Nos números, Dorival Júnior tem desempenho inferior ao de Rogério Ceni, que deixou o Tricolor com 49,5% de aproveitamento, sendo 37 jogos, 14 vitórias, 13 empates e dez derrotas. O seu sucessor, por sua vez, contabiliza seis triunfos, cinco empates e seis reveses em um total de 17 partidas (45%).

Tags: arte, bola, campeonato, futebol, jogo, neymar, time

Compartilhe: