Jornal do Brasil

Terça-feira, 17 de Outubro de 2017

Esportes

Corinthians ensaia time ideal com festa de milhares de torcedores

Portal Terra

O Corinthians foi ao seu estádio na manhã deste sábado para receber o apoio que não terá no dia seguinte. Impedidos de preencher a área visitante do Morumbi por determinação de segurança, milhares de torcedores corintianos estiveram no setor norte de Itaquera e cantaram ininterruptamente durante as mais de duas horas em que o técnico Fábio Carille ensaiou a sua formação ideal para o clássico contra o São Paulo.

Embora o Corinthians estivesse em campo, as câmeras de cinegrafistas e fotógrafos ficaram quase sempre direcionadas para a arquibancada. Não era para menos. O setor de Itaquera destinado às organizadas, que comporta cerca de 9.000 torcedores, foi praticamente lotado, com o público portando os mais variados artefatos proibidos em dias de jogo - faixas, bandeiras, batuques e sinalizadores.

Quando o Corinthians deixou o vestiário, o som da cantoria e da bateria foi elevado, assim como as bandeiras tremularam com mais velocidade. Os jogadores se juntaram para aplaudir o gesto da torcida, que soltou uma espessa fumaça preta no ar e iniciou a entoar uma série de cânticos de cunho homofóbico, todos provocativos ao rival da manhã de domingo. "É sangue no olho! É tapa na orelha! É o jogo das bichas! O Corinthians não é brincadeira!", inovaram os uniformizados, adaptando uma letra composta para os clássicos contra o Palmeiras.

Para assegurar que a festa se prolongasse no restante do fim de semana, o Corinthians procurou deixar a euforia do lado de fora do gramado. Carille supervisionou um trabalho de aquecimento e dividiu os seus atletas para uma atividade coletiva, em campo reduzido, logo após o público ser cumprimentado. O veterano meia Danilo atuou como curinga, pelas duas equipes. A escalação dos titulares era a seguinte: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô.

Esse time, invicto e o predileto de Carille, só foi utilizado pelo Corinthians 11 vezes ao longo da temporada, quatro delas no Campeonato Brasileiro e duas justamente contra o São Paulo, pelas semifinais do Campeonato Paulista, com uma vitória por 2 a 0 no Morumbi e um empate por 1 a 1 em Itaquera.

Os reforços dos titulares do Corinthians são o lateral esquerdo Guilherme Arana, recém-recuperado de lesão muscular na coxa direita e ainda recebendo atenção especial do preparador físico Walmir Cruz, e os meio-campistas Maycon e Rodriguinho, poupados no empate por 0 a 0 com o Racing. O armador chegou a substituir Jadson no segundo tempo da partida na Argentina, que decretou a eliminação da sua equipe na Copa Sul-Americana, e foi expulso três minutos depois. Por isso, ouviu um e outro torcedores chamarem-no de "pipoqueiro" nesta manhã.

A maioria do público estava em Itaquera, contudo, para incentivar o líder do Campeonato Brasileiro - até bebês e senhoras de idade se misturaram aos torcedores organizados no setor norte, conforme flagrado nos telões de Itaquera. Carille, porém, levou a sua equipe titular para treinar na outra extremidade do gramado, onde havia menos exposição, e deixou os reservas mais próximos da cantoria.

Diante do setor sul de Itaquera, o Corinthians realizou a sua tradicional atividade de ajuste de posicionamento, sem a presença de uma equipe adversária. Carille convocou o preparador Mauri Costa Lima, dono de um chute potente, para fazer uma série de levantamentos na área e testar também o jogo aéreo dos titulares, que só haviam feito um treinamento regenerativo no dia anterior.

Do outro lado, desfalcados dos zagueiros Léo Santos e Vilson e do centroavante Carlinhos, sob os cuidados do departamento médico, os suplentes do Corinthians foram separados em duas equipes com oito jogadores de linha cada. Quem realmente chamou a atenção da torcida, contudo, foram os goleiros. Caíque vibrou muito por acertar um chute no travessão, enquanto Walter imitou a famosa defesa escorpião do goleiro colombiano Higuita e viu o público vibrar como se ele tivesse marcado um gol.

Ao final da movimentação, os jogadores exercitaram finalizações, com baixo aproveitamento. O meia Jadson preferiu se dedicar a cobranças de pênalti. Depois, animou-se para bater bola com os filhos de alguns dos seus companheiros, levados a campo pelos pais. Àquela altura, a torcida do Corinthians já começava a recolher os seus apetrechos e despedia-se do time que não terá apoio no Morumbi, onde tentará ampliar a sua vantagem em uma ponta da tabela de classificação e deixar o aflito São Paulo mais próximo da outra.

Tags: brasileiro, brasileirão, campeonato, corinthians, futebol

Compartilhe: