Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Esportes

Neymar supera Ronaldinho em erros e vê cobrança aumentar na Seleção

Portal TerraFábio de Mello Castanho

Os números apenas comprovam a sensação que todos os presentes no Estádio Wembley tiveram: Neymar esteve em uma noite irreconhecível na derrota brasileira por 2 a 1 para a Inglaterra. O atacante deixou o estádio com quatro erros em passes e finalizações, não teve sucesso ao tentar três dribles e perdeu ao todo oito bolas nos dois minutos e 10 segundos que esteve com a bola no pé. Em todos estes quesitos, foi o campeão dos erros na Seleção.

Ao final do jogo, uma análise era unanimidade: Neymar e Ronaldinho foram as maiores decepções em Wembley. Porém, o meio-campista pecou em outro aspecto: sumiu de campo após perder pênalti aos 16min primeiro tempo. Antes da falha, o meia estava participativo e esboçava uma boa partida. Depois, pouco tocou na bola. Tanto que saiu de jogo no intervalo com a marca de apenas 36 segundos de posse.

Para ambos os jogadores, o técnico Luiz Felipe Scolari apresentou a mesma análise. "É normal que ele jogue e ainda não esteja nas condições físicas que a gente pretende", disse sobre Ronaldinho, que atuou apenas em uma partida pelo Atlético-MG no ano.

"Fisicamente não tínhamos a condição de dar mais chance para o Neymar mostrar todas as suas condições. O adversário estava melhor fisicamente em campo e preenchia as lacunas que o Neymar abria. Ele não vai render o que todos esperam neste momento", complementou o treinador.

Ao olhar do público, no entanto, pesam contra os jogadores um passado recente complicado na Seleção por razões diferente. Ronaldinho não consegue engrenar uma série sequer de convocações. Já Neymar tem vaga cativa, mas tem falhado nos jogos mais importantes e nas competições que disputou com a camisa verde e amarela.

No caso do meio-campista, Felipão disse que terá paciência e seguirá com as convocações caso ele continue atuando bem no clube. Com 32 anos, no entanto, Ronaldinho precisa de uma rápida reação na Seleção. Fora da Copa do Mundo de 2010 e há muito tempo sem uma partida marcante pelo País, sua aposentadoria com o uniforme canarinho pode se aproximar.

Já Neymar carrega em seus ombros a cobrança proporcional ao seu status dentro da nova geração do futebol brasileiro. O apenas bom não serve para ele aos olhos do torcedor. Uma noite de pouco inspiração como a de ontem não passará batida de críticas. Com a instabilidade dos veteranos, vai caber a ele ser o ponto de desequilíbrio e o diferencial na Copa de 2014.

Neymar completou 21 anos na última terça-feira e é natural que o seu tempo de maturação esteja em processo. Assim como é fato que ele fez partidas sem brilho em amistosos contra Argentina, Inglaterra, Holanda e Alemanha e sumiu na eliminação das quartas de final da Copa América e na final olímpica contra o México. O craque, independente das adversidades, costuma aparecer nos grandes jogos. E isso Neymar ainda está devendo na Seleção.

Tags: Amistoso, atacante, brasileira, erros, seleção

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.