Jornal do Brasil

Domingo, 19 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

País - Eleições 2018

"Alckmin conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção", diz Bolsonaro

Jornal do Brasil

Em publicação neste sábado (21), em sua página oficial no Facebook, o pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) afirmou  que o tucano Geraldo Alckmin - seu concorrente ao Palácio - "conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção".

A publicação reforça o que Bolsonaro declarou também neste sábado, em solenidade de formatura de paraquedistas do Exército na Vila Militar, em Deodoro. Ele afirmou que Alckmin reunia "a nata de tudo que não presta no Brasil ao lado dele".  

Reprodução/Facebook

A declaração e a publicação foram críticas direta à aliança de Alckmin com o chamado Centrão da Câmara de Deputados. 

Durante o evento em Deodoro, segundo informações de O Globo, Bolsonaro tirou fotos com familiares dos formandos e com soldados, que gritavam em coro "Bolsonaro presidente!". Novamente, ele posou para fotos com uma criança no colo fazendo com as mãos o sinal de uma arma.

"Alckmin conseguiu unir no 'Centrão' toda a nata da corrupção", diz Bolsonaro

Bolsonaro também defendeu o nome da advogada Janaína Paschoal como sua vice na chapa, destacando sua postura durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Centrão e Alckmin

Os partidos do chamado Centrão decidiram, na última quinta-feira (19), apoiar a candidatura de Alckmin (PSDB) à Presidência da República. O acordo foi fechado após um dia marcado por intensas negociações, que começaram com um café da manhã na casa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em Brasília, e terminaram com encontro na casa de Alckmin, em São Paulo. O ex-governador chegou a cancelar evento em Minas Gerais para receber representantes do grupo.

A aliança ainda vai depender de formalização por parte dos partidos – DEM, PP, Solidariedade, PR, Avante, PRB e PHS. Com o apoio do bloco, o tempo de Alckmin na propaganda eleitoral, que era de 78 segundos, subirá para 249 segundos (4 minutos e nove segundos). Somando o apoio que Alckmin já tinha de PPS, PV, PTB e PSD, seu tempo de exposição no rádio e na TV chegará a 360 segundos (seis minutos). O PT, por exemplo, terá apenas 95 segundos (um minuto e 35).



Tags: alckmin, bolsonaro, candidato, militar, tucano

Compartilhe: