Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Dólar sobe 0,68% e atinge maior valor do ano, aos R$ 3,3084

Jornal do Brasil

O dólar superou nesta terça-feira, 20, o teto informal dos R$ 3,30 e atingiu seu maior valor em 2018, com os mercados focados na primeira reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) sob o comando de Jerome Powell. A moeda norte-americana valorizou-se ante divisas fortes e emergentes, refletindo a possibilidade de um aumento de juros mais forte nos Estados Unidos, com potencial para influenciar ativos em todo o mundo.

Embora em segundo plano, também contribuíram para um comportamento mais cauteloso por parte do investidor o temor de uma guerra comercial e a pressão sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) para nova análise da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

No mercado à vista, o dólar fechou cotado a R$ 3,3084, em alta de 0,68%. É o maior valor da moeda americana desde 28 de dezembro - última sessão de negócios de 2017 -, quando a cotação terminou em R$ 3,3155. Os negócios no mercado à vista somaram US$ 770 milhões, de acordo com os números da B3. No mercado futuro, o dólar para liquidação em abril tinha ganho de 0,67% às 17h21, aos R$ 3,3100.

"A grande ansiedade do mercado é saber se o Fed de Jerome Powell manterá o tom gradualista que marcou a gestão de Janet Yellen. E nessas reuniões em que há manifestação do presidente do Fed, as atenções se redobram, porque tudo o que for dito terá grande importância. Até mesmo uma má colocação pode gerar fortes movimentos nos mercados", disse Alessandro Faganello, operador da corretora Advanced.

Um aumento de 0,25 ponto porcentual nas taxas dos fed funds já é dado como certo, mas investidores estarão atentos à fala de Jerome Powell após a divulgação da decisão de política monetária e ao gráfico de pontos, que mostra as projeções para os juros de cada um dos integrantes do comitê de política monetária (Fomc) para o final do ano. A partir dessas sinalizações, espera-se um cenário mais claro quanto ao número de aumentos de juros nos EUA neste ano.

"O mercado brasileiro acompanhou à risca a tendência de alta do dólar, apesar da forte resistência ao nível dos R$ 3,30. O fato de o dólar ter se fortalecido ante moedas fortes, como o iene, mostra que o dia foi mesmo de fortalecimento do dólar, e não de desvalorização de outras moedas", disse Mário Battistel, gerente de câmbio da Fair Corretora.

O dólar chegou a cair pontualmente pela manhã, mas inverteu a tendência ainda na primeira etapa dos negócios. À tarde, o spot atingiu a máxima intraday de R$ 3,3109 (+0,75%). As cotações rondaram esse "teto" durante todo o dia, mas sem fôlego para ir muito além. Segundo operadores, a alta não foi além porque a cotação se mostrou atrativa aos exportadores.

Fonte: Estadão conteúdo



Tags: alta, cambio, dolar, incertezas, maior do ano

Compartilhe: