Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Julho de 2018 Fundado em 1891

Economia

Petróleo recua com aumento preocupante da produção dos EUA

Jornal do Brasil

Os barris de petróleo registram queda nesta quinta-feira (14), contidos pela alta na produção norte-americana, que subiu 73 mil barris diários e chegou a 9,78 milhões de barris diários, a máxima desde o início da década de 1970 e perto dos níveis dos principais produtores da Rússia e Arábia Saudita, principais produtores de petróleo.

A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) alertou que o aumento na produção norte-americana deve ter continuidade em 2018, o que prejudica os esforços da Opep e outros países como a Rússia para conter a desvalorização da commodity. 

A IEA prevê que a oferta fora da Opep, incluindo a participação dos EUA, pode aumentar 600 mil barris por dia em 2017 e 1,6 milhão de barris por dia em 2018. 

Na véspera, a Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês) apontou uma queda muito maior que a esperada nos estoques de petróleo bruto, de 5,1 milhões de barris contra a expectativa de recuo de 3,7 milhões de barris, para 442,99 milhões, a mínima desde outubro de 2015.

Às 9h44, o barril de WTI para entrega em janeiro tinha queda de 0,28%, a US$ 56,44. Já o barril de Brent para fevereiro recuava 0,32%, a US$ 62,24. 

>> Opep prorroga cortes na produção de petróleo por 9 meses

>> Jim O’Neill no 'Project Syndicate': A irregularidade do petróleo

>> 'Financial Times': Traders de commodities miram escala de participação no mercado



Tags: arábia saudita, brent, estados unidos, petróleo, preço, rússia, wti

Compartilhe: