Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Economia

Bitcoin entra no mercado de futuros: especialistas revelam riscos e consequências

Sputnik

Neste domingo (10) a Cboe inicia as negociações de contratos futuros de bitcoins, a CME estreará os primeiros futuros de bitcoins em 18 de dezembro. Os especialistas explicaram à Sputnik Brasil que consequências terá o lançamento de futuros da criptomoeda para o sistema financeiro global e por que este é um passo importante para o mundo das moedas digitais.

Hoje às 21h00 (horário de Brasília) os primeiros contratos futuros (acordos que obrigam as partes a comprar ou vender um ativo por um preço fixo e a ser entregue em um prazo futuro determinado com antecedência) baseados em bitcoin começam a ser negociados na Bolsa de Opções de Chicago (Cboe, na sigla em inglês). A Chicago Mercantile Exchange (CME), a maior bolsa de mercadorias do mundo, lançará contratos futuros da criptomoeda em 18 de dezembro.

Durante 2017, a capitalização total de todas as criptomoedas apresentou um crescimento entre 17,7 bilhões de dólares (R$ 58 bilhões) e 400 bilhões de dólares (R$ 1.3 trilhões), o preço do bitcoin aumentou mais de 1500 por cento.

A entrada nas bolsas norte-americanas é um evento importante para as criptomoedas. Isso garante o afluxo de capitais por parte dos investidores e grandes fundos. O lançamento de um contrato de futuros em bitcoin vai fazer com que os bancos e as empresas comerciais se protejam da alta volatilidade do preço da moeda digital e que os investidores individuais negociem  a criptomoeda de maneira mais fácil.

O lançamento de futuros de bitcoin nas bolsas oficiais, que oferecem ambientes de negociação rigorosamente controlados, atrairá os investidores que anteriormente evitavam as operações com a criptomoeda devido à ausência de controle no mercado, disse à Sputnik Brasil o diretor executivo da empresa BCS Ultima, Oleg Safonov.

Quanto aos interesses da CME e da Cboe, para elas o lançamento de contratos futuros de bitcoin é uma oportunidade de obter mais lucro.

"As bolsas querem participar da euforia causada por essa moeda digital. Não lhes importa nem muito nem pouco qual será o preço do bitcoin – de qualquer maneira elas receberão a comissão de transação. Tendo em consideração a popularidade da criptomoeda, os futuros de bitcoin terão uma grande procura entre participantes do mercado e o volume de negócios, bem como as comissões, serão altos", explicou à Sputnik Brasil Roman Tkachuk, analista da corretora russa Alpari.

Segundo Vadim Merkulov, analista da empresa de investimentos Freedom Finance, graças às operações com futuros de bitcoin, o volume de negócios da CME pode aumentar 10% em 2018 e o da Cboe pode duplicar.

"As bolsas querem satisfazer a demanda crescente dos investidores institucionais. O lançamento de futuros de bitcoin e a criação de um mercado regulamentado de derivativos dão grandes oportunidades para satisfazer essa demanda", comentou Oleg Safonov.

Entretanto, a criptomoeda ainda é um investimento com alto nível de risco. "Apesar de muitos considerarem o bitcoin como o futuro do mundo financeiro, na maioria dos países não existe regulamentação dessas divisas. Um dia poderia ser assinada uma lei que torne as criptomoedas ilegais e o dinheiro dos investidores em bitcoin desapareceria", avisou Safonov.

Segundo os especialistas, embora o preço do bitcoin esteja em alta, não vale a pena comprar essa moeda.

"Investir em bitcoin é muito perigoso, mesmo que seu preço continue crescendo, porque o bitcoin está ligado a um esquema de pirâmide. É possível usar futuros de bitcoin como instrumento especulativo, mas essa estratégia requer certa experiência e pleno entendimento do mercado de bitcoin e de outras criptomoedas", afirmou à Sputnik Brasil Vadim Merkulov.

O analista da empresa de investimentos Finam, Leonid Delitsin comparou a compra de bitcoins com jogos de azar.

"Investimentos em bitcoin são comparáveis aos jogos de azar, enquanto a compra de futuros é como fazer aposta na previsão do tempo ou no impeachment do presidente dos EUA Donald Trump. Os que conseguem prever o futuro podem capitalizar esse conhecimento", disse ele à Sputnik Brasil.

Para os especialistas, o início das negociações de contratos futuros de bitcoins nas bolsas oficiais tem um enorme potencial, mas ao mesmo tempo representa grandes riscos para a economia mundial.

"Enquanto o sistema financeiro mundial não estiver ligado ao bitcoin, é pouco provável uma crise financeira global. No entanto, o lançamento de futuros de bitcoin atua como uma ponte entre o mundo financeiro tradicional e o das criptomoedas. A nova bolha financeira está crescendo porque as pessoas são movidas pela ganância. Devemos entender que são os novos investidores que contribuem para a enorme velocidade de aumento de preço do bitcoin. Atraídos pelos vários recordes históricos do bitcoin, esses investidores não entendem esse mercado, não entendem os riscos", explicou Vadim Merkulov. 

De acordo com Oleg Safonov, quanto mais o bitcoin for integrado no mercado global, mais consequências graves terá o estouro da bolha. Por essa mesma razão, o lançamento de futuros de bitcoin pode não apenas satisfazer a demanda, mas também provocar o colapso no mercado financeiro.

Em 2017 o bitcoin bateu numerosos recordes. Leonid Delitsin opinou que o lançamento de contratos futuros desta criptomoeda contribuirá para o aumento do preço do bitcoin no fim de 2018 até cerca de 20 mil dólares (R$ 66 mil).

"Entretanto, em janeiro o seu preço cairia 30-40%, depois disso seria um aumento até 20-40 mil dólares (R$ 66-132 mil). A sua taxa de câmbio terá enorme volatilidade e serão possíveis o pânico e o colapso do preço", afirmou ele.

Uma outra bolsa de valores norte-americana, a NASDAQ, está se preparando para lançar futuros de bitcoin. As operações devem começar no segundo ou no terceiro trimestre de 2018.

O bitcoin é a primeira moeda digital, criada em 2008. Embora hoje haja mais de mil criptomoedas, o bitcoin permanece sendo a criptomoeda mais usada no mundo.

Tags: bitcoin, cyber, economia, futuros, mercados, moeda, virtual

Compartilhe: